Saltar para conteúdo

Notícias

2021-05-01 às 19h56

Governo destaca recursos que permitirão reforçar a estrutura de resposta dos bombeiros

Ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, durante a cerimónia do 100.º aniversário da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários da Feira, 1 maio 2021
O Ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, destacou que «quer o Plano de Recuperação e Resiliência quer o Quadro Financeiro Plurianual têm recursos que permitirão reforçar a estrutura de organização desta rede de resposta» de bombeiros.

Em Santa Maria da Feira, durante a intervenção na cerimónia do 100.º aniversário da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários da Feira, o Ministro realçou a importância do novo modelo que está a ser desenvolvido na Escola Nacional de Bombeiros, com a constituição de mais de 200 equipas profissionais - 60 das quais na passada sexta-feira - e com o reforço de articulação entre meios dos bombeiros e de outras estruturas.

«Temos de criar uma estrutura cada vez mais sólida, não só através do DECIR recentemente aprovado, como da Diretiva de Vigilância que pela primeira vez existe, quer pela Diretiva Financeira», referiu, acrescentando que o apoio passa ainda por outras dimensões, «como o Estatuto Social do Bombeiro ou o reforço do Fundo Social do Bombeiro».

Eduardo Cabrita realçou, à saída da cerimónia, que está a ser construído um modelo em que quer na dimensão nacional, de gestão de riscos, quer numa dimensão dos programas regionais, estejam associados mecanismos «aos quais as associações de bombeiros e o sistema de proteção civil poderão apresentar candidaturas».

O Ministro expressou ainda que o Governo está a executar o quadro 2014/2020 e que não será desperdiçado qualquer recurso. «Temos, um pouco por todo o País, dezenas de apoios que estão a ser concluídos num quadro financeiro que vai até 2020, mas que, em bom rigor, permitirá pagar despesa realizada até 2023», disse.

Durante a intervenção na cerimónia, Eduardo Cabrita afirmou também a intenção de «homenagear, nos bombeiros de Santa Maria da Feira, todos os bombeiros portugueses, pela forma corajosa e determinada como atuaram neste ano tão difícil».

«Não tínhamos a uma resposta a uma pandemia que era absolutamente inesperada. E é esta dimensão de uma crise global que teve uma resposta dada por todos os portugueses. Mas é preciso dizer que os bombeiros estiveram, mais uma vez, na primeira linha desta resposta. Deram resposta, com segurança, com capacidade de sacrifício, àquilo que foi o desafio da pandemia», afirmou.