Saltar para conteúdo

Notícias

2020-03-03 às 20h32

É preciso desconstruir «imagem tradicionalmente masculina» nas Forças Armadas

Ministro da Defesa Nacional, João Gomes Cravinho, e Secretária de Estado para a Cidadania e Igualdade, Rosa Monteiro, no lançamento do Gabinete da Igualdade da Defesa Nacional, Lisboa, 3 março 2020
O Ministro da Defesa Nacional, João Gomes Cravinho, afirmou que é preciso desconstruir a «imagem tradicionalmente masculina» associada às Forças Armadas.

João Gomes Cravinho falava no lançamento do Gabinete da Igualdade da Defesa Nacional, no Museu Militar, em Lisboa, uma iniciativa integrada nas celebrações do Dia Internacional da Mulher onde esteve também a Secretária de Estado para a Cidadania e a Igualdade, Rosa Monteiro.

Durante a sua intervenção, o Ministro disse que «importa continuar a aprofundar» o Plano Sectorial para a Igualdade na Defesa Nacional e combater «barreiras invisíveis que estão enraizadas», acrescentando que «em algumas matérias, a Defesa tem sido pioneira na igualdade em Portugal», designadamente, na igualdade salarial.

Mulheres no universo da Defesa Nacional já são 20%

«Em matéria de igualdade entre homens e mulheres, sabemos que, em 2015, as mulheres representavam 19% da Defesa Nacional, e que no âmbito das Forças Armadas tínhamos 11% de militares femininas. Hoje, em 2020, temos 20% de mulheres em toda a Defesa Nacional, e nas Forças Armadas o número subiu para 12%», afirmou.

Para João Gomes Cravinho, este aumento é uma «melhoria ligeira», mas que será motivo de satisfação se for um «progresso sustentado», acrescentando que a «visibilidade destas mulheres tem um impacto fundamental no recrutamento para as Forças Armadas».

O Ministro referiu ainda o o estudo no Plano para a Igualdade relativo à situação das mulheres nas Forças Armadas, que deverá estar pronto em junho.

Gabinete de Igualdade da Defesa Nacional

O Gabinete da Igualdade da Defesa Nacional faz parte de um conjunto de 30 medidas já anunciadas pela área governativa da Defesa, a aplicar até 2021, que têm como objetivo fomentar a igualdade nos vários ramos das Forças Armadas e na Defesa Nacional.

O foco deste gabinete será a aplicação da figura do «conselheiro de género» em cada ramo militar e no Estado-Maior-General das Forças Armadas, bem como a criação de um documento comum aos três ramos das Forças Armadas que define normas do apoio à parentalidade.