Saltar para conteúdo

Notícias

2020-12-04 às 12h01

Defesa Nacional apoia Saúde na implementação do Plano de Vacinação de Combate à Covid-19

Plano de vacinação Covid-19

O Plano de Vacinação de Combate à Covid-19 contará com o contributo das Forças Armadas no desenvolvimento da operação logística que permitirá garantir a distribuição das vacinas pelos diferentes pontos de vacinação, em todo o país.

 A Defesa Nacional continua a dar o seu apoio à Saúde em múltiplas frentes da estratégia de combate à pandemia. No âmbito do rastreio epidemiológico à Covid-19, foram disponibilizadas equipas de militares, constituídas por oficiais, sargentos e praças, a fim de reforçarem a capacidade de rastreio das Administrações Regionais de Saúde e dos respetivos Agrupamentos de Centros de Saúde.

À data de hoje, estão envolvidos, nesta frente de colaboração com as autoridades de saúde pública, 260 militares da Marinha, Exército e Força Aérea, divididos por 14 equipas, estando já a operar 7 equipas (122 militares) em resposta às solicitações da Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo, da Administração Regional de Saúde do Norte e da Administração Regional de Saúde do Alentejo. O empenhamento das Forças Armadas no reforço da capacidade de rastreio poderá chegar, se necessário, aos 500 militares.

As competências das Forças Armadas estão a ser igualmente disponibilizadas à Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo através do Núcleo de Apoio à Decisão (NAD), constituído por oficiais do EMGFA, para ajudar na gestão das camas hospitalares disponíveis no SNS, para receber doentes infetados pelo SARS-CoV-2.

No apoio de retaguarda para doentes com Covid-19, o Centro de Apoio Militar de Belém e o Hospital das Forças Armadas - Polos de Lisboa e do Porto têm vindo a acolher pacientes de várias instituições hospitalares do Serviço Nacional de Saúde.

A capacidade de acolhimento temporário das Forças Armadas encontra-se igualmente ativada, com um total de 674 camas disponíveis nos 9 Centros de Acolhimento de doentes, localizados em unidades militares dos três Ramos.

As Forças Armadas mantêm o seu dispositivo em prontidão, por forma a responder com celeridade e eficácia às múltiplas solicitações de várias entidades e diferentes áreas governativas, que além da Saúde abrangem também setores como a Educação, Justiça ou Segurança Social, com ações de formação e sensibilização para higienização de espaços em 570 escolas, 55 ações em prisões e, mais recentemente, 1445 ações de sensibilização presenciais já realizadas em lares de norte a sul do País.