Saltar para conteúdo

Notícias

2021-05-27 às 18h20

«União Europeia vai prestar mais atenção à região do indo-pacífico»

Ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, após uma reunião informal dos Ministros dos Negócios Estrangeiros da União Europeia, Lisboa, 27 maio 2021 (Foto: José Sena Goulão/Lusa)
O Ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, afirmou que «a União Europeia vai prestar mais atenção à região do indo-pacífico através de uma estratégia própria».

No Centro Cultural de Belém, após uma reunião informal dos Ministros dos Negócios Estrangeiros da União Europeia, Augusto Santos Silva destacou que este encontro em Lisboa foi «muito útil no quadro da preparação da estratégia da Europa para o indo-pacífico e da diversificação dos interlocutores que a Europa tem na Ásia e no Pacífico».

O Ministro sublinhou as relações com China, Japão, Coreia do Sul, Austrália e Nova Zelândia mas acrescentou a necessidade de «dar mais atenção» à Índia e aos países da Associação de Nações do Sudeste Asiático (ASEAN).

Augusto Santos Silva destacou também a primeira reunião de líderes entre a União Europeia e a Índia a 8 de maio, no Porto, «a primeira com a participação de todos os Estados-membros, que «produziu resultados importantes como o relançamento das negociações económicas entre a União Europeia e a Índia e a assinatura de um pacto conjunto para a conetividade».

Relações entre União Europeia e África

A reunião informal de Ministros dos Negócios Estrangeiros em Lisboa ficou também marcada pela discussão das relações entre a União Europeia e a África.

«É preciso que construamos em conjunto, europeus e africanos, uma estratégia para o desenvolvimento da cooperação continente a continente. É preciso que temas fundamentais da transição ecológica e energética, da transição digital, do investimento, da qualificação dos recursos humanos e do Estado de Direito estejam presentes», disse o Ministro.

Santos Silva salientou também que esta reunião surge depois de, em abril, Portugal ter acolhido já o Fórum de Investimento Verde entre a União Europeia e África que a presidência portuguesa do Conselho da União Europeia organizou em conjunto com o Banco Europeu de Investimento.

Paz no Médio Oriente

O Ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros salientou também o convite endereçado ao Ministro dos Negócios Estrangeiros da Jordânia, Ayman al-Safadi, para participar numa sessão de trabalho durante o almoço.

«O tema foi a situação no Médio Oriente e o tom foi muito claro e consensual: precisamos de segurança no Médio Oriente, mas sobretudo precisamos de paz. Para isso, precisamos de regressar ao processo de paz, não só para acudir às necessidades mais urgentes mas também para relançar o processo político capaz de encontrar a solução para o conflito israelo-palestiniano que, do nosso ponto de vista, só pode ser a dos dois estados», disse Santos Silva, acrescentando que «sem solução para esse conflito, não há paz».

O Ministro reiterou que «é preciso reconhecer o direito de ambos os povos a viver em paz, liberdade e segurança no seu próprio território». «Para que isso seja possível, o processo político entre interlocutores legítimos dos dois países tem de ser relançado e reforçado», sublinhou.