Saltar para conteúdo

Notícias

2021-03-10 às 17h07

União Europeia tem de «desenvolver redes mais eficientes» para crises sanitárias

O Secretário de Estado da Saúde, Diogo Serras Lopes, afirmou que os Estados-membros têm de trabalhar em conjunto para «desenvolver redes mais eficientes que possam monitorizar, enfrentar e reagir» a futuras crises sanitárias.

Numa conferência virtual, intitulada «Os desafios da saúde num mundo pós-covid-19», que se insere num ciclo de conferências organizado pela Embaixada de Portugal em Praga, no contexto da Presidência Portuguesa do Conselho da União Europeia, o Secretário de Estado salientou, ainda, que «a resposta a qualquer crise de saúde pública só pode ser eficiente se a comunicação for feita de forma clara».

Nesse sentido, Diogo Serras Lopes sublinhou a importância de criar «iniciativas de educação em saúde, para capacitar os cidadãos e torná-los mais capazes de fazer as escolhas certas», garantindo o sucesso da comunicação.

O Secretário de Estado reforçou, também, a necessidade de a Europa «garantir o fornecimento de medicamentos essenciais», apostando numa «nova reindustrialização» no setor da saúde e num reforço das cadeias produtivas.

No âmbito da presidência portuguesa do Conselho Europeu, e tendo em vista a sustentabilidade da União Europeia neste domínio, Portugal vai apresentar um documento com as conclusões obtidas juntamente com os restantes Estados-membros, prevendo a sua aprovação na reunião de ministros responsáveis pelas pastas do Emprego, Política Social, Saúde e Consumidores (EPSCO) em junho.
Áreas:
Saúde