Saltar para conteúdo

Notícias

2021-03-22 às 14h28

União Europeia quer robustecer resiliência e aumentar autonomia na produção

Ministro de Estado, da Economia e da Transição Digital, Pedro Siza Vieira, após a videoconferência informal dos Ministros da Competitividade da União Europeia, Lisboa, 22 março 2021 (Foto: António Pedro Santos/Lusa)
O Ministro de Estado, da Economia e da Transição Digital, Pedro Siza Vieira, destacou o objetivo da União Europeia em «robustecer a resiliência e a capacidade de aguentar disrupções nas cadeias de valor global».
 
«Precisamos de investimento e de incentivar a diversificação de cadeias e a produção na Europa de bens que vão ser cada vez mais críticos», afirmou o Ministro durante a conferência de imprensa com a Vice-Presidente da Comissão Europeia, Margrethe Vestager, após a videoconferência informal dos Ministros da Competitividade (Mercado Interno e Indústria).
 
Pedro Siza Vieira sublinhou que o acesso a matérias-primas, componentes críticos, equipamentos de proteção individual e semicondutores foram áreas em que a União Europeia notou dependência para assegurar «um funcionamento regular das suas empresas e a manutenção de qualidade de vida dos seus cidadãos».
 
«Tivemos oportunidade de debater a questão a criação de condições equitativas de concorrência no nosso mercado interno», afirmou também, dizendo que «a Europa é um continente aberto, no qual estão acessíveis produtos e serviços provenientes de outras regiões do globo», pelo que a Comissão Europeia vai «apresentar documentos relativos à criação de condições de concorrência equitativas no que respeita a distorções causadas por subvenções estrangeiras ou por não-conformidade de bens provenientes de países terceiros das regras ambientais, de segurança ou sociais que são observadas na Europa».
 
O Ministro frisou também que a Vice-Presidente da Comissão Europeia, Margrethe Vestager, apresentou «os objetivos quantificados e as metas intermédias do 2030 Digital Compass «para assegurar que a próxima década é uma década verdadeiramente digital na Europa». É um documento importante que nos dá a todos um caminho bem claro e uma forma de monitorizar o progresso nesta matéria», acrescentou.
 
O documento contribui também para reduzir a dependência da União Europeia de segmentos das cadeias de valor, assegurando alternativas e o funcionamento regular caso haja dificuldades numa parte do mundo. A Comissão Europeia «está a mapear como será possível diversificar cadeias de abastecimento para não estar dependente de um único fornecimento que, quando entra em crise, não se consegue suprir, e como se consegue reforçar a capacidade autónoma de produzir elementos que possam ser críticos».