Saltar para conteúdo

Notícias

2020-02-14 às 18h37

Temos de incorporar mais equipamentos produzidos em Portugal na indústria nacional

Primeiro-Ministro António Costa e Ministros Siza Vieira e Nelson de Souza na reunião com empresas de bens de equipamento, Lisboa,14 fevereiro 2022 (foto: Rodrigo Antunes/Lusa)
«Temos de assegurar que os nossos fabricantes de bens de equipamento são capazes de contribuir mais para alimentar o processo de investimento das nossas empresas», disse o Ministro de Estado, da Economia e da Transição Digital, Pedro Siza Vieira, no final de uma reunião com empresas e associações do setor, promovida pelo Primeiro-Ministro António Costa, em Lisboa.

«O objetivo era identificar formas de aumentar a incorporação de bens produzidos em Portugal na indústria nacional», disse o Ministro, acrescentando que «pretendemos que os produtores nacionais de tecnologias de produção, de máquinas destinadas à indústria aumentem as vendas e Portugal e a sua performance nas exportações».

Portugal importa uma elevada quantidade de bens de equipamento, nomeadamente máquinas e material de transporte, que representam metade do crescimento das importações em 2015-19, e que não tem decrescido.

Apesar do expressivo aumento das exportações de bens de equipamento, a importação dos equipamentos usados na produção das exportações portuguesas tem aumentado, agravando o saldo da balança de bens e da abalança comercial global.

Na reunião, em que estiveram presentes, empresas, associações e instituições de investigação do cluster de bens de equipamento e tecnologias de produção, foram identificadas «linhas muito claras de trabalho para o futuro, na promoção deste setor, no financiamento da atividade, nas necessidades de recursos humanos e formação profissional», disse o Ministro.

Boas notícias na economia

Pedro Siza Vieira referiu também que houve hoje «boas notícias sobre o comportamento do Produto Interno Bruto: Portugal cresceu, no último trimestre de 2019, bastante acima do que era esperado, um crescimento de 2,2% relativamente ao mesmo trimestre do ano anterior, o que significa uma das melhores performances da zona euro».

«Aumentámos o ritmo de convergência com a União Europeia, e, sobretudo, fizemo-lo com um contributo muito positivo da procura externa líquida, isto é, as exportações cresceram mais do que as importações no último trimestre e concluímos mais um ano com saldo positivo na balança de exportações», afirmou.

O Ministro disse também que, «se queremos manter este ritmo de crescimento, temos de assegurar que os nossos fabricantes de bens de equipamento são capazes de contribuir mais para alimentar o processo de investimento das nossas empresas».

O setor conta com mais de 29 mil empresas e emprega 187 mil pessoas. Entre 2015 e 2018, o setor mostrou grande dinamismo, tendo o emprego crescido 16%, o investimento,65%, e as exportações, 43%. Os salários médios são superiores em 35% aos outros setores (não financeiros) e tiveram um crescimento de 8%.

Recorde-se que o Governo assinou em abril de 2019 um pacto setorial com o cluster de equipamentos e tecnologias de produção (Produtech), com o objetivo de modernizar o tecido industrial, potenciar a internacionalização, antecipar necessidades de qualificação profissional, contribuir para a transição energética e potência dinâmicas de colaboração.

Além do Primeiro-Ministro António Costa e do Ministro de Estado, da Economia e da Transição Digital, Siza Vieira, estiveram ainda presentes o Ministro do Planeamento, Nelson de Souza, e o Secretário de Estado Adjunto e da Economia, João Neves.