Saltar para conteúdo

Notícias

2020-05-28 às 17h26

Selo «Clean & Safe» foi destacado na Organização Mundial do Turismo

Selo Clean & Safe
A Secretária de Estado do Turismo, Rita Marques, participou na 4.ª reunião do Comité Global de Crise da Organização Mundial de Turismo, para apresentar o exemplo português de recuperação no âmbito da pandemia Covid-19, designadamente o Selo «Clean & Safe». 

Esta iniciativa, pioneira a nível mundial, foi apresentada na Assembleia Mundial, tendo sido Portugal o único país da Europa convidado a apresentar boas práticas do setor, nesta fase de retoma.

A Secretária de Estado explicou, nesta reunião, o plano de retoma do setor turístico em Portugal, relevando a importância de uma mensagem positiva e contínua sobre a garantia de segurança e de confiança, consubstanciada por projetos concretos, de que reveste exemplo a iniciativa «Clean & Safe».
 
«O nosso compromisso com a segurança foi firmado com o Selo 'Clean & Safe', lançado pelo Turismo de Portugal a 24 de abril, para distinguir as atividades turísticas, e outras relacionadas também com o setor, que asseguram o cumprimento de requisitos de higiene e limpeza para prevenção e controlo da Covid-19 e de outras eventuais infeções», disse Rita Marques, lembrando que, em paralelo, o Turismo de Portugal lançou diversas ações de formação on-line e hands-on sobre práticas sanitárias.

O selo, uma vez atribuído, é válido até abril de 2021, 100% digital, gratuito e opcional, e exige a implementação nas empresas de um protocolo interno que, de acordo com as recomendações da Direção-Geral da Saúde, assegura a higienização necessária para evitar riscos de contágio e garante os procedimentos seguros para o funcionamento das atividades turísticas. A Secretária de Estado disse também que, até ao momento, foram emitidos aproximadamente 8900 selos.

Quem pode solicitar o selo «Clean & Safe»

Podem solicitar o selo «Clean & Safe» os empreendimentos turísticos (como hotéis, parques de campismo e caravanismo e áreas de serviço de autocaravanas), estabelecimentos de alojamento local, guias intérpretes, restaurantes, empresas de animação turística, agências de viagens e turismo, postos de turismo, campos de golfe, empresas de rent-a-car, casinos e bingos. 

Brevemente outras atividades e serviços como aeroportos, transportes marítimos, museus, palácios e outros ativos culturais, também relacionados com o turismo, poderão aderir à iniciativa.

Fórum Mundial de Viagens

A realização do Fórum Mundial de Viagens, em Évora, nos dias 5 e 6 de novembro, foi outro bom exemplo português de recuperação no setor do turismo apresentando nesta reunião.

Rita Marques destacou que «esta é uma oportunidade única de reunir, em Portugal, oradores e participantes de todo o mundo para discutir os desafios e as oportunidades do turismo nos próximos anos. Temos em mãos o desafio enorme de construir um novo turismo, mais responsável e mais sustentável».