Saltar para conteúdo

Notícias

2020-10-08 às 11h10

Secretário de Estado das Infraestruturas participou na conferência virtual de Ministros dos Transportes da União Europeia

Secretário de Estado das Infraestruturas, Jorge Delgado

O Secretário de Estado das Infraestruturas, Jorge Delgado, participou hoje na Conferência virtual de Ministros dos Transportes da União Europeia, apoiando a iniciativa de pedir à Comissão Europeia um plano de contingência para ajudar o setor dos transportes da União a suportar os efeitos da crise provocada pela pandemia Covid 19. E defendeu a ideia de incluir também o transporte de passageiros neste plano.

O Secretário de Estado português sublinhou a importância de se «preparar um enquadramento para as ajudas de Estado adequado às necessidades específicas do setor dos transportes».

Evitar o «risco do levantamento de restrições unilaterais e descoordenadas ao movimento transfronteiriço de bens no interior da UE, mas também nas fronteiras externas» foi uma das preocupações sinalizadas por Portugal, com o Secretário de Estado a lembrar que «durante uma crise, qualquer perturbação no abastecimento pode provocar alarme social».  Assim, Jorge Delgado defendeu que «as principais vias de comércio, as redes trans-europeias e as cadeias de distribuição locais têm de permanecer intactas».

O governante aproveitou também para sublinhar «o papel crucial que o transporte ferroviário tem tido nos últimos meses como o modo de transporte mais resiliente  para manter grandes quantidades de carga  movimento por toda a Europa» e notou o «número crescente de iniciativas e propostas de diferentes Estados-membros para colocar o transporte ferroviário no centro da recuperação pós-pandemia, apelando, também, a mais investimento no setor».

Já a olhar para a Presidência Portuguesa da UE, que se inicia em janeiro, Jorge Delgado disse contar com todos os Estados-Membros, e «especialmente com os nossos parceiros do Trio de Presidências» (Alemanha, Portugal e Eslovénia), para colocar o caminho-de-ferro no centro de um sistema de transportes Europeu mais resiliente e ao serviço das pessoas, aproveitando o Ano Europeu do Transporte Ferroviário, em 2021, sempre numa abordagem «menos baseada na competição e mais na cooperação».