Saltar para conteúdo

Notícias

2021-03-25 às 18h25

Secretária de Estado da Administração Interna destaca papel da subcomissão permanente de resposta à pandemia

Secretária de Estado da Administração Interna, Patrícia Gaspar, preside à 100.ª reunião da subcomissão permanente para acompanhamento da pandemia, Lisboa, 25 março 2021

A Secretária de Estado da Administração Interna, Patrícia Gaspar, disse que a «grande preocupação» da subcomissão permanente - criada na Proteção Civil para acompanhar a pandemia de Covid-19 - passa pela articulação entre as diferentes entidades para se evitar um retrocesso.

«Estamos a falar de todas as aéreas governativas, desde a Saúde, às Forças de Segurança e Forças Armadas», disse Patrícia Gaspar, no final da reunião número 100 desta subcomissão, criada no âmbito da Comissão Nacional de Proteção Civil da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC).

A secretária de Estado referiu também que esta reunião serviu para «garantir que todas as entidades estão alinhadas e que todos os mecanismos de coordenação estão a funcionar bem», numa altura em que o número de casos de Covid-19 está a diminuir no País.

Patrícia Gaspar afirmou que Portugal está «numa situação bastante favorável em termos da evolução da pandemia» mas que, a qualquer momento, pode inverter-se caso não se continue a cumprir as regras nesta fase de desconfinamento gradual.

«Importa manter esta monitorização, importa garantir que monitorizamos todas as diferentes áreas para que não haja qualquer retrocesso neste enorme trabalho que tem sido feito por todos os portugueses» frisou, acrescentando que esta alerta é para o período da Páscoa, como também para todas fases de desconfinamento.

 

Missão da subcomissão permanente

 

A subcomissão permanente, que funciona desde março de 2020, faz o acompanhamento da evolução da situação epidemiológica, sendo responsável pela recolha e tratamento de informação relativa à pandemia, garantindo uma permanente monitorização da situação.

Na subcomissão têm assento representantes de cerca de duas dezenas de entidades, nomeadamente das áreas governativas dos Negócios Estrangeiros, Justiça, Educação, Trabalho, Solidariedade e Segurança Social e da Saúde, dos Governos Regionais, das Forças e Serviços de Segurança, das Forças Armadas e dos Bombeiros.

Segundo a Secretária de Estado, esta subcomissão tem vindo a funcionar desde o início da pandemia e geralmente reúne-se uma vez por semana, mas nos períodos mais críticos chegou a ter encontros diários e que toda a rede que tem vindo a funcionar na área da proteção civil no âmbito da pandemia é «talvez um pouco discreta», ao contrário do que é a intervenção em outras situações, como é o caso do combate aos incêndios em que a visibilidade é muito expressiva.

Patrícia Gaspar disse ainda que a subcomissão, que tem um «trabalho mais de retaguarda», tem permitido gerir uma série de situações, como a questão do repartimento dos portugueses que estavam fora de Portugal, apoio à montagem de estruturas de retaguarda e assuntos relacionados com mortuárias.