Saltar para conteúdo

Notícias

2020-04-24 às 18h44

Resultados positivos no combate à pandemia não nos permitem descansar

Ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, faz declaração no final da reunião de monitorização do estado de emergência, Lisboa, 24 abril 2020 (foto: João Bica)
O Ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, apelou a que os portugueses «limitem as deslocações, este fim-de-semana, às situações em que são expressamente admitidas» no período de estado de emergência, numa declaração no final da nona reunião da estrutura de monitorização do Estado de emergência com a participação dos Secretários de Estado das áreas setoriais e cos cinco com funções de coordenação regional.

O Ministro afirmou que «as forças e serviços de segurança terão particular empenho no aconselhamento e fiscalização do cumprimento das regras do regime de estado de emergência, e, em articulação com as câmaras municipais, serão encerradas as zonas que propiciem uma maior aglomeração de pessoas, designadamente zonas perto do mar ou de lazer».

Eduardo Cabrita afirmou que «os resultados positivos anunciados diariamente pela Saúde não nos permitem descansar neste esforço coletivo de contenção», exigindo-se «um esforço adicional para que possamos, a partir de maio, iniciar gradualmente a abertura de vários setores da economia e dos serviços públicos».

O Ministro destacou que se «verifica um generalizado cumprimento e adesão dos cidadãos às regras próprias do estado de emergência».

Situação nos lares

Eduardo Cabrita disse que, relativamente aos lares de idosos, «foi decidido dar prioridade à realização sistemática de testes a trabalhadores e, quando verificados casos positivos nestes, a residentes de lares». 

«Esse programa está em plena aplicação e foram já realizados testes a mais de 50% dos trabalhadores dos lares. Até ao final da primeira semana de maio conta-se ter testado todos os trabalhadores», disse acrescentando que «os níveis de casos positivos são motivo de especial acompanhamento, mas estão à volta de 10% dos casos testados». 

Até 23 de abril, «realizaram-se em Portugal 317 mil testes. A capacidade de realizar testes aumentou significativamente. Em abril já se fez o dobro dos testes feitos em março. Portugal, dos países com mais de um milhão de habitantes é, na Europa, o país com mais testes realizados relativamente à sua população», disse.

O Ministro referiu ainda as «várias ações de sensibilização de trabalhadores migrantes, nomeadamente do turismo e da agricultura, dando-lhes informação sobre as regras que devem seguir na sua atividade profissional», e a decisão de «promover a realização de testes a requerentes de asilo que se encontram a aguardar» o desfecho do seu caso.

«Desde o início desta fase crítica até ontem [23 de abril] chegaram 25 voos cheios de material de apoio médico e na próxima semana estão programados mais quatro», disse ainda.

Eduardo Cabrita referiu ainda a informação de que «as maiores redes de distribuição a retalho já contrataram, com a indústria nacional», o fornecimento «de equipamentos de proteção individual e de gel desinfetante», o que «a partir de meio da próxima semana permitirá abastecimento em quantidade significativa».