Saltar para conteúdo

Notícias

2021-04-07 às 12h28

Região de Lisboa e Vale do Tejo reforça medidas de mitigação da Covid-19 em meio escolar

Testes à Covid-19
Na semana em que se inicia a 2.ª fase de desconfinamento, o Coordenador da Região de Lisboa e Vale do Tejo para o combate à Covid-19, Duarte Cordeiro,  informa que o Departamento de Saúde Pública (DSP) da Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARSLVT) tem estado a reforçar as medidas de monitorização e mitigação da Covid-19 nas respostas sociais e nos estabelecimentos de educação e ensino. 
 
O processo de monitorização inclui a testagem massiva de todos os trabalhadores dos ciclos de ensino que retomam as atividades presenciais e a aplicação das medidas de Saúde Pública adequadas a cada situação, nomeadamente a desinfeção de edifícios, testagem massiva (de alunos e funcionários de todos os estabelecimentos em que se detetem casos positivos, bem como de todos os seus coabitantes), confinamento dos casos positivos e isolamento profilático dos contactos de risco. 

Em LVT, quando identificados surtos em creches, jardins de infância e escolas dos diferentes níveis de ensino, procede-se ao acompanhamento pelas autoridades de saúde, que possuem recursos reforçados de monitorização e mitigação da Covid-19 em meio escolar. 
 
Deste modo, serão testados funcionários e crianças de várias idades que frequentam os estabelecimentos em que foram identificados surtos (mediante consentimento informado os encarregados de educação), mas também coabitantes desses alunos e pessoal docente e não docente.  
 
Outra das medidas assenta no princípio da precaução: após conhecimento de um caso em meio escolar, a Autoridade de Saúde informa a DGEstE sobre a necessidade de assegurar o ensino não presencial da turma/sala, enquanto aguarda os resultados dos testes realizados. Perante a existência de outros casos, pondera-se a aplicação da mesma medida a todo o estabelecimento, por motivos de Saúde Pública, de modo a cortar as cadeias de transmissão da infeção por SARS-CoV-2.
 
Há ainda a possibilidade de se realizar rastreios a profissionais e alunos dos Estabelecimento de Ensino e Educação e ATL que se localizem em proximidade geográfica onde estão localizadas escolas com surtos. 
 
As medidas de Saúde Pública em ambiente escolar e nas respostas sociais serão implementadas em colaboração com a tutela do respetivo estabelecimento e estão a ser permanentemente acompanhadas pelas autoridades de saúde locais, regionais e nacional.
 
A Região de Lisboa e Vale do Tejo (LVT) integrou o processo nacional de testagem massiva no âmbito da reabertura das escolas. Na semana do início das aulas presenciais das creches (rede solidária e rede lucrativa e pré-escolar da rede solidária), pré-escolar e do 1.º ciclo (dos setores público e privado), foram realizados mais de 117 mil testes. Nesta segunda fase está prevista a realização de mais de 150 mil testes a todos os trabalhadores docentes e não docentes destes estabelecimentos em todo o território continental.