Saltar para conteúdo

Notícias

2021-04-07 às 16h46

«Reforço dos sistemas de saúde é essencial para garantir que ninguém fica para trás»

Ministra da Saúde, Marta Temido, na sessão de encerramento das comemorações do Dia Mundial da Saúde , 7 abril 2021
A Ministra da Saúde, Marta Temido, destacou a importância do investimento nos sistemas de saúde para atenuar as desigualdades da sociedade no acesso aos cuidados médicos, durante a intervenção no encerramento da sessão comemorativa do Dia Mundial da Saúde.

«O reforço dos sistemas de saúde, no caso português do Serviço Nacional de Saúde, é essencial para responder a todas as necessidades de saúde e para garantir que ninguém fica para trás, em todas as áreas e em especial naquelas em que as vulnerabilidades são maiores, como é o caso da saúde mental», afirmou.

Marta Temido referiu que «apesar dos inegáveis progressos verificados nas últimas décadas em termos de melhoria das condições de vida e da organização dos sistemas de saúde, há um longo caminho a percorrer quanto à ação dos determinantes sociais da saúde e à redução do seu efeito negativo nas desigualdades em saúde».

A Ministra realçou que a pandemia de Covid-19 reforçou a não-aleatoriedade na forma como a doença e a saúde se distribuem nas sociedades, uma vez que «reflete a forma como as pessoas nascem, crescem, vivem e envelhecem, e reflete desigualdades de género, de grupo étnico, de rendimento, de nível de educação e até de tipo de trabalho».

«O investimento em saúde é também um investimento na educação, na habitação e transportes públicos, no trabalho justo e proteção social, no ambiente e clima, na saúde animal, na economia sustentável e na sociedade digital inclusiva», sublinhou.

A Ministra reiterou que «este é um caminho que o Governo tem percorrido e pretende continuar nas escolhas estratégicas realizadas, como por exemplo no Plano de Recuperação e Resiliência».

«Mas é também por reconhecermos que a saúde começa em casa que defendemos a coconstrução da saúde das pessoas, das famílias e das populações envolvendo todos os recursos da comunidade, contando com os parceiros do sistema e oferecendo respostas de proximidade», acrescentou.

Marta Temido afirmou que «esta também é uma aposta que o Governo tem realizado, nomeadamente com os municípios, e que pretende aprofundar com o desenvolvimento dos sistemas locais de saúde».

Cooperação europeia na área da saúde

«Se permanecermos unidos seremos mais fortes na nossa capacidade de resposta e isso convoca-nos a uma participação determinada na construção de uma união europeia da saúde», disse Marta Temido.

A Ministra referiu que, num primeiro momento, este projeto «implica a aprovação de um pacote legislativo que envolve o reforço da Agência Europeia do Medicamento (EMA), do Centro Europeu de Prevenção e Controlo das Doenças e a aprovação do regulamento de ameaças de saúde pública transfronteiriças».

«Só quando todos estivermos protegidos, cada um de nós estará protegido. Isso convoca-nos à participação ativa em mecanismos de solidariedade como o da partilha de vacinas contra a Covid-19, mas convoca-nos sobretudo a uma ação concertada de compromisso com o modelo de justiça e equidade sociais que faz bem à saúde e que só pode ser plenamente realizado numa ótica de saúde global», afirmou ainda.

«Por último, há um sentido de enorme responsabilidade e urgência nas mudanças que somos chamados a fazer. Cada um de nós não tem mais tempo a perder para construir um mundo mais justo e também mais saudável», concluiu.