Saltar para conteúdo

Notícias

2020-02-03 às 15h04

Rede do Espaço Cidadão já tem 630 balcões

Ministras da Modernização do Estado e Administração Pública, Alexandra Leitão, e da Cultura, Graça Fonseca, na inauguração do «Espaço Cidadão», Vendas Novas, 03 fevereiro 2020. Foto: Nuno Veiga/LUSA)
A rede do Espaço Cidadão já tem 630 balcões espalhados pelo País, cinco deles em bibliotecas públicas. 
 
Na inauguração de um novo Espaço Cidadão, em Vendas Novas, a Ministra da Modernização do Estado e da Administração Pública, Alexandra Leitão, referiu que esta medida tem «um objetivo de proximidade muito evidente, porque está nas freguesias», e um «elemento de inclusão».
 
«Cada vez mais há um esforço de modernização muito relevante na administração pública, em que há muita coisa que nós podemos fazer 'online', mas há muita gente que ainda não faz, seja porque não sabe, seja porque não quer, seja porque quer ter essa interação mais pessoal», disse a Ministra.
 
Alexandra Leitão referiu também que as instalações do Espaço Cidadão «permitem conjugar o uso da tecnologia com um acompanhamento a quem tem menos literacia digital», numa declaração à imprensa.
 
Sobre o novo Espaço Cidadão de Vendas Novas - que vai funcionar na Brilioteca Municipal da cidade - a Ministra disse que o balcão vai prestar vários serviços como renovação do Cartão de Cidadão (para pessoas com mais de 25 anos); pedido de cadernetas predias e registos civis; e, finalmente, renovação da carta de condução.
 
Alexandra Leitão referiu ainda que é esta «lógica de proximidade e de inclusão» que o Governo pretende que continue a marcar «o projeto de modernização da administração pública».
 
Incentivo à leitura
 
A Ministra da Cultura, Graça Fonseca destacou que este novo Espaço Cidadão é um dos cinco balcões instalados em bibliotecas públicas, acrescentando que a rede de bibliotecas «tem uma capilaridade como poucas redes têm» no País, com espaços espalhados um pouco por todo o território nacional.
 
«Hoje em dia, a forma como as novas gerações utilizam os conteúdos de uma biblioteca mudou muito desde as últimas décadas» e é preciso «conseguir, mantendo esta ligação às pessoas, ter novos usos que, no fundo, criem sinergias novas», afimrou
 
Graça Fonseca disse ainda que esta «será, evidentemente, uma sinergia muito importante, quer para o Espaço Cidadão, quer para as bibliotecas e, neste caso, para o incentivo à leitura».