Saltar para conteúdo

Notícias

2020-12-02 às 19h41

Portugal vai comprar 22 milhões de vacinas no valor de 200 milhões de euros

Plano de vacinação Covid-19
O Primeiro-Ministro António Costa, os Ministros de Estado e da Presidência, Mariana Vieira da Silva, da Defesa Nacional João Gomes Cravinho, da Administração Interna, Eduardo Cabrita e da Saúde, Marta Temido, estiveram reunidos com os especialistas encarregues do plano de vacinação contra a Covid-19, em Lisboa.

A Ministra da Saúde, numa declaração afirmou que no dia 3 de dezembro «haverá primeira apresentação publica do cenário base do plano de vacinação contra a Covid-19», acrescentando que «o montante global poderá atingir os 200 milhões de euros e ultrapassar os 22 milhões de doses». 

Marta Temido referiu que o grupo de trabalho «apresentou os quatro planos essenciais que serão tornados públicos amanhã: quais são as vacinas disponíveis e, em função das respetivas quantidades, quais os grupos alvo para a vacinação, onde será realizada a administração da vacina, onde será feito o registo eletrónico, e aspetos relacionados com a logística, com a segurança, e os aspetos da comunicação». 

A Ministra sublinhou que todos devem «ter a perceção de que o processo de vacinação será longo, durante vários meses, pelo que teremos de garantir que mantemos as regras até que possamos garantir a administração das vacinas, que estimamos que possam vir a ser disponibilizadas a partir do início de 2021».

Incertezas

Marta Temido sublinhou que «há ainda muitas incertezas neste processo», destacando quatro. 

A primeira, é que «não são ainda conhecidos os resultados da última fase de ensaios clínicos prévios à autorização de introdução de medicamentos, pelo que a eficácia das vacinas não está ainda avaliada pela Agência Europeia do Medicamento», embora já estando marcadas datas para duas vacinas.

A segunda, é que «há incertezas com os ensaios clínicos publicados que maioritariamente abrangem pessoas entre os 18 e os 55 anos». 

A terceira, é que «não se conhece ainda completamente a duração da imunidade da vacinação». 

E a quarta, «que os dados disponíveis não recomendam anda a vacinação de crianças e grávidas».

A Ministra lembrou que «Portugal está desde junho a acompanhar o processo conduzido pela União Europeia de desenvolvimento produção e distribuição de vacinas», tendo participado no comité de acompanhamento, e que «em agosto o Conselho de Ministros autorizou a primeira despesa com aquisição de vacinas no âmbito das compras conjuntas europeias, no valor inicial de 20 milhões de euros».