Saltar para conteúdo

Notícias

2020-12-31 às 19h04

Portugal terá «responsabilidade especial» para garantir segurança no Mali

O Ministro da Defesa Nacional, João Gomes Cravinho, afirmou que Portugal vai assumir uma «responsabilidade especial» durante a presidência portuguesa do Conselho Europeu, no primeiro semestre de 2021, para garantir a segurança no Mali.

Na base aérea do Montijo, na cerimónia de regresso da Força Nacional Destacada que integrou nos últimos seis meses a Missão Multidimensional Integrada das Nações Unidas para a Estabilização do Mali (MINUSMA), o Ministro reiterou a importância da mobilização dos Estados-membros para as missões no país africano.

«É preciso reter que o Mali é um país charneira para a estabilidade do Sahel, uma região muito próxima de nós, e que a instabilidade ou a existência de grupos terroristas naquela região é uma ameaça direta para a Europa. Embora possa parecer que estão numa missão longínqua, na realidade as consequências daquela missão podem-se fazer sentir aqui entre nós», referiu.

Gomes Cravinho estendeu o compromisso de Portugal com a segurança na região para além dos seis meses da presidência portuguesa e salientou a necessidade de todos os Estados-membros partilharem este combate.

«Portugal estará presente novamente em 2021 com uma aeronave na missão das Nações Unidas. Estará presente também na força Takuba, de operações especiais de combate ao terrorismo, está presente na missão europeia de formação das Forças Armadas no Mali. Estaremos presentes em várias frentes, mas sempre com o mesmo objetivo que é de combater o terrorismo», disse.

O Ministro da Defesa Nacional sublinhou também o desempenho dos militares portugueses num ano marcado pela pandemia de Covid-19: «Foi extraordinário ver como souberam reagir sem pôr em causa as missões que lhe são atribuídas».

«As nossas Forças Armadas demonstraram capacidade de adaptação», acrescentou.