Saltar para conteúdo

Notícias

2020-07-22 às 17h41

Portugal já realizou quase 1,5 milhões de testes

Secretária de Estado Adjunta e da Saúde, Jamila Madeira, na conferência de imprensa sobre a evolução da pandemia, Lisboa, 22 julho 2020 (Foto: José Sena Goulão/Lusa)
Portugal já realizou 1,48 milhões de testes à Covid-19, afirmou a Secretária de Estado Adjunta e da Saúde, Jamila Madeira, na conferência de imprensa sobre a evolução da pandemia no País. 

A Secretária de Estado salientou que a realização de testes apresenta uma tendência ascendente em julho face a junho, registando este mês uma média diária de 13 670 testes. 

Simultaneamente, a rede laboratorial passou de 20 para 98 laboratórios em julho, com presença em todo o território. «Este alargamento da capacidade laboratorial tem sido determinante na resposta eficaz à pandemia e será ainda este ano substancialmente reforçada com o novo investimento, conforme previsto no Programa de Estabilização Económica e Social e acomodado no Orçamento Suplementar», disse.

Jamila Madeira disse também que o reforço já previsto para a medicina intensiva, recursos humanos, meios de saúde pública e sistemas informáticos, além do aumento do orçamento inicial da saúde para 2020, mostram «uma opção clara pela robustez e capacidade da resposta do Serviço Nacional de Saúde» face ao desafio da pandemia e da prestação dos outros cuidados de saúde.

A Secretária de Estado afirmou que o Ministério da Saúde está a trabalhar na salvaguarda do futuro do SNS, quer pela estratégia global do Governo, quer pela apresentação do Plano de Recuperação Económica 2020-2030.

Destacou ainda a criação de um grupo de trabalho coordenado pela Autoridade Central dos Sistemas de Saúde e com a participação das Administrações Regionais de Saúde para elaborar uma proposta de plano plurianual de investimentos. 

Esta proposta de investimentos plurianuais «deverá também avaliar e propor medidas com vista à gestão eficiente da rede de equipamentos e instalações do SNS» e à «planificação global e integrada de investimentos em equipamento e instalações nos próximos 10 anos», estando pronta «a tempo da discussão do próximo Orçamento do Estado».