Saltar para conteúdo

Notícias

2021-01-11 às 14h51

Portugal e Grécia com relações excelentes e convergência em grandes matérias

Conferência de imprensa conjunta do Primeiro-Ministro António Costa e do Primeiro-Ministro grego Kyriakos Mitsotakis
Primeiro-Ministro António Costa com o Primeiro-Ministro grego Kyriakos Mitsotakis, Lisboa, 11 janeiro 2021
O Primeiro-Ministro António Costa recebeu o Primeiro-Ministro grego, Kyriakos Mitsotakis, com quem discutiu as relações bilaterais e «matérias que é importante fazer avançar neste semestre e em que Portugal assume a presidência da União europeia».

Numa conferência de imprensa conjunta, o Primeiro-Ministro disse que «as relações bilaterais são excelentes do ponto de vista político, com convergência permanente em todas as grandes matérias», tendo destacado a questão migratória. 

Os dois Chefes de Governo visitaram, durante a manhã, as instalações da Política Marítima, que «vem desempenhando, desde 2012, missões na fronteira grega, que é a fronteira externa da União Europeia, que tem sido também objeto de missões do SEF e da GNR». Portugal e Grécia têm também «colaborado, numa base bilateral, na relocalização em Portugal de pessoas que chegam à Grécia a requerer proteção internacional. 

António Costa afirmou que «para nós, é um princípio fundamental que a fronteira externa da União Europeia é uma responsabilidade comum dos 27 Estados membros e não pode recair de forma desproporcionada exclusivamente nos países que, por razões geográficas, estão mais próximos dos pontos de maior pressão migratória».

«É para nós uma honra termos podido receber em Portugal centenas de pessoas relocalizadas e de a nossa Polícia Marítima já ter salvo 7 mil vidas de pessoas que podiam ter morrido afogadas a tentar chegar à Europa», disse.

O Primeiro-Ministro sublinhou que o esforço de integração de migrantes «tem de ser um esforço coletivo, porque as pessoas desejam vir para a Europa no seu conjunto e não especificamente para a Grécia, para Malta, para Itália, para Espanha, os países que têm estado na primeira linha da pressão migratória».

Reforçar relações económicas

Os dois Chefes de Governo identificaram também «a necessidade de reforçar as nossas relações económicas» tendo o Secretário de Estado da Internacionalização assinado recentemente «um acordo para as que agências de investimento externo trabalhem de forma mais próxima», bem como «trabalhar em conjunto para trocar experiências e informações» no âmbito dos planos nacionais de recuperação «e contribuirmos para que rapidamente todo o processo de recuperação económica na Europa esteja em andamento».

«Do ponto de vista da presidência da União Europeia, falámos das três principais prioridades – acelerar a recuperação económica, reforçar o pilar social, assegurar autonomia de uma Europa aberta ao mundo –, mas também questões como a vacinação, chave para recuperar a Europa, e de questões difíceis e das mais divisivas no seio da União, como a de fazer avançar o Pacto sobre as Migrações, apresentado pela Comissão Europeia, no qual há, entre os 27, posições muito contrastantes, sendo dever da presidência procurar compreender bem os argumentos de cada um e fazer um esforço para termos uma posição comum, que nos permita ter um bom pacto», disse António Costa.

Semestre cheio de desafios

O Primeiro-Ministro Kyriakos Mitsotakis referiu que o semestre da presidência portuguesa é cheio de desafios, pela necessidade de continuar o progresso na luta contra a pandemia, através da campanha de vacinação, de fazer funcionar o fundo de recuperação e de avançar em questões difíceis como a dos fluxos migratórios.

O Primeiro-Ministro grego afirmou-se certo de a presidência será um sucesso de Portugal e, por isso, também da Grécia, acrescentando que os dois países são aliados naturais, ambos países do sul, países que passaram por uma crise económica muito difícil, com experiências semelhantes.

Embora Kyriakos Mitsotakis e António Costa possam ter pontos de partida ideológicos diferentes, encontram-se nos esforços de chegar a um caminho comum para as reformas necessárias e na mesma posição perante o populismo.

Abordagem semelhante

A Grécia partilha a abordagem da presidência portuguesa da UE no que toca à transição digital e climática e à Europa social, disse, acrescentando que Grécia estará presente na reunião sobre o pilar social, na qual se falará também de um rendimento mínimo europeu, disse. 

O Primeiro-Ministro grego agradeceu a Portugal o trabalho no âmbito da Agência europeia de proteção de fronteiras (Frontex), destacando o facto de a ação portuguesa ter permitido salvar as vidas de 7 mil pessoas nos últimos 7 anos.

Portugal foi também um dos primeiros países que se ofereceu para receber pessoas migrantes quando houve uma pressão migratória muito grande, disse acrescentando que cabe agora a Portugal continuar as negociações do Pacto para as Migrações e Asilo, que é um instrumento muito importante, pois tem de haver mais solidariedade europeia nesta matéria.