Saltar para conteúdo

Notícias

2019-12-18 às 17h33

Papel das Forças Armadas em missões externas «é fundamental»

Primeiro-Ministro António Costa e Ministro da Defesa Nacional, João Gomes Cravinho, durante a visita ao 10.º contingente português na base militar de Besmayah, Iraque, 18 dezembro 2019 (Foto: Paulo Vaz Henriques)
O Primeiro-Ministro António Costa afirmou que «é fundamental o papel desempenhado pelas Forças Armadas e pelo conjunto das forças de segurança nacionais em missões externas».

Na visita aos cerca de 30 elementos do 10.º contingente português na base militar de Besmayah, no Iraque, o Primeiro-Ministro realçou que, ao longo da sua história, Portugal «assegurou sempre a independência nacional projetando a sua capacidade de influência».

«A presença das Forças Armadas portuguesas e também das forças de segurança nacionais nestas missões destacadas são da maior importância para afirmar a credibilidade externa do país e para termos uma participação ativa em organizações internacionais como as Nações Unidas ou a NATO, ou nas coligações que celebramos. É muito importante que o poder político dê um sinal inequívoco de apoio», acrescentou.

O Primeiro-Ministro disse também que «embora não haja qualquer ameaça direta em relação ao território nacional, Portugal está num mundo onde há várias ameaças globais e que são atualmente cada vez mais diversificadas».

António Costa sublinhou que «o combate a estas ameaças deve começar o mais próximo possível do ponto de origem dessas mesmas ameaças».

O Primeiro-Ministro elogiou o contributo dos militares portugueses em missões externas para o prestígio internacional do país e para a segurança coletiva, considerando vital que as ameaças sejam combatidas nos seus focos de origem.

Os militares portugueses no Iraque têm como missão prestar formação e treino à polícia federal e às forças militares do governo iraquiano.

A visita de António Costa à base no Iraque, na companhia do Ministro da Defesa Nacional, João Gomes Cravinho, teve o objetivo de «partilhar com as forças portuguesas destacadas no Iraque o espírito de Natal, deixando bem claro que não estão esquecidos em Portugal».

O Ministro da Defesa Nacional sublinhou que «os militares portugueses têm uma enorme capacidade de interação, fator ao qual ainda juntam o seu elevado profissionalismo» e acrescentou que os contingentes nacionais «são sempre altamente apreciados pelo trabalho que fazem».