Saltar para conteúdo

Notícias

2021-06-01 às 14h09

Novas tecnologias na área da Defesa são vitais para a União Europeia

Ministro da Defesa Nacional, João Gomes Cravinho
O Ministro da Defesa Nacional, João Gomes Cravinho, afirmou que as novas tecnologias para a área da defesa são vitais, em termos estratégicos, para a União Europeia (UE) permanecer «totalmente interoperável» com aliados como os Estados Unidos.
 
«As tecnologias disruptivas emergentes para Defesa são o tabuleiro de xadrez estratégico vital do nosso século e não podemos deixar de ser um jogador líder», frisou João Gomes Cravinho, na abertura do seminário internacional «Bússola Estratégica, o caminho a seguir».
 
O Ministro disse também que a importância destas novas tecnologias se justifica por «razões económicas», tendo em conta que muitas são de «dupla utilização» e proporcionam «grandes impulsos para a recuperação e renovação económica europeia num novo paradigma industrial e tecnológico».
 
João Gomes Cravinho destacou ainda o futuro Observatório dedicado às tecnologias disruptivas emergentes de Defesa, patrocinado pela Comissão Europeia, como um «exemplo útil» da abordagem necessária para toda a UE.
 
Sobre o papel da Agência Europeia de Defesa (EDA), o Ministro disse que a mesma «deve continuar a manter um diálogo regular e inclusivo sobre o impacto destas tecnologias na defesa com as partes interessadas de todo o ecossistema de defesa europeu - dos centros de pesquisa à indústria. E deverá continuar a incluir as pequenas e médias empresas (PME) , com o objetivo de criar centros de inovação, relacionados, por exemplo, com a inteligência artificial, automação ou novas capacidades marítimas».
 
João Gomes Cravinho realçou que existe um «consenso crescente» entre os Estados-membros sobre a necessidade de «missões mais robustas e flexíveis como parte vital e indispensável da abordagem integrada da UE para a gestão de crises».