Saltar para conteúdo

Notícias

2021-06-08 às 19h16

Nova campanha de turismo pretende converter em negócio notoriedade da marca Portugal

Ministro de Estado, da Economia e da Transição Digital, Pedro Siza Vieira, na apresentação da campanha de turismo #TempodeSer, Arouca, 8 junho 2021
O Ministro de Estado, da Economia e da Transição Digital, Pedro Siza Vieira, afirmou que a nova campanha apresentada pelo Governo (#TempodeSer) «faz parte do plano de reativação do turismo e procura converter em negócio aquilo que é a notoriedade desta marca que construímos ao longo dos últimos anos».

Junto da Ponte suspensa 516 Arouca, durante a cerimónia de apresentação, o Ministro destacou o momento em que é lançada, uma vez que coincide com a reativação da mobilidade aérea e com a reabertura das fronteiras.

Inserida no plano de retoma «Reativar o Turismo, Construir o Futuro», que disponibiliza 10 milhões de euros anuais, a campanha foca-se nos países que podem representar o maior crescimento do turismo em valor.  Na primeira fase, destina-se a Portugal, Espanha, Alemanha, Reino Unido, França e Países Baixos, e, na segunda, aos Estados Unidos da América e Canadá, entre outros.

Pedro Siza Vieira realçou que «a recuperação da atividade turística vai também depender da continuada normalização da situação epidemiológica» e acrescentou que ainda esta semana será assegurada «a reabertura das viagens não essenciais a partir dos Estados Unidos para Portugal para pessoas com certificado de vacinação, conforme a recomendação do Conselho Europeu recentemente aprovada».

«À medida que as pessoas vão redescobrindo a vontade de viajar, à medida que vamos controlando a situação epidemiológica e conseguimos assegurar experiência de segurança na viagem, estamos também em condições de reativar o turismo», sublinhou.

Trajetória do turismo de Portugal nos últimos anos

O Ministro realçou a trajetória que o setor do turismo em Portugal tem seguido nos últimos anos com uma capacidade para atrair cada vez mais turistas de outros destinos, com destaque para Estados Unidos, Brasil, Ásia e outros países europeus que tradicionalmente não visitam o País, e referiu a transformação implementada pelo setor.

«Começámos a desenvolver produtos turísticos que pudessem justificar a atração de turistas ao longo de todo o ano, combatendo a maldição do turismo sazonal, das pessoas que nos visitam nas épocas altas para aproveitar o nosso sol e as nossas praias e depois se vão embora. Procurámos trazer turistas durante todo o ano e procurámos valorizar todo o nosso território, evitando que os visitantes se concentrem sempre nas mesmas localizações e que possam descobri tudo o que o País tem para oferecer», disse.

Esta transformação contribuiu para que o turismo se tornasse «uma oportunidade de valorização dos territórios, de criação de emprego e de dinamização empresarial», acrescentou, reiterando que a diversificação de mercados, o combate à sazonalidade e a diversificação de destinos são objetivos que fazem parte da Estratégia Turismo 2027.

O sucesso destes objetivos fez com que Portugal se tornasse um destino turístico de elevado valor, capaz de aumentar o preço dos produtos e a capacidade de retenção de receitas no País: «De todos os países mediterrânicos, Portugal é hoje o segundo país que mais receitas por visitante estrangeiro consegue obter. Estamos a fazer um caminho de notoriedade internacional à custa de uma capacidade de encontrarmos novos motivos de atração de maior valor acrescentado».

Siza Vieira realçou que apesar de o setor do turismo ter estado praticamente suspenso durante um ano devido à pandemia de Covid-19, Portugal soube estudar e avaliar a marca Portugal para garantir que continuava na frente das preferências dos visitantes, ao mesmo tempo que trabalhar «no sentido de apoiar empresas a manter a capacidade produtiva e formar pessoas para o regresso do turismo».

«É isso que agora está em causa. E por isso quisemos lançar um plano não apenas para a reativação do turismo mas também para construirmos o futuro desta atividade: um turismo que a prazo continue este futuro virtuoso, mais sustentável, com mais valor, mais digitalizado e dirigido cada vez mais a mercados diversificados», acrescentou.

A Secretária de Estado do Turismo, Rita Marques, também esteve presente na cerimónia e sublinhou o «esforço extraordinário» que a presidência portuguesa do Conselho da União Europeia tem vindo a fazer «no sentido de estabelecer pontes com outras geografias no contexto europeu mas também no contexto extracomunitário e extra-Europa». 

«Muito em breve teremos frutos deste esforço para repor mobilidade internacional e garantir que temos todas as condições para voltarmos a viajar com a segurança e tranquilidade que todos desejamos e merecemos», disse.