Saltar para conteúdo

Notícias

2020-05-13 às 17h41

Ministro do Mar propõe campanha de promoção do consumo de pescado a nível europeu

Ministro do Mar, Ricardo Serão Santos, e Ministra da Agricultura, Maria do Céu Albuquerque, na reunião do Conselho de Ministros da Agricultura e Pescas da União Europeia, Lisboa, 13 maio 2020
O Ministro do Mar, Ricardo Serrão Santos, propôs que sejam realizadas a nível europeu campanhas de promoção junto do consumidor final para consumir peixe sustentável de qualidade, capturado pelos navios da União Europeia. Referindo a campanha nacional «Alimente quem o alimenta» (da Agricultura e do Mar), Serrão Santos considerou que «uma ação conjunta a nível europeu terá um impacto maior».

Na participação por videoconferência na reunião de ministros de Agricultura e de Pescas da União Europeia (UE), de balanço sobre o impacto da pandemia nestes setores económicos, desde a última reunião informal no passado dia 25 de março de 2020, Ricardo Serrão Santos saudou a cooperação entre a Comissão, o Conselho e o Parlamento Europeu, na resposta aos impactos da Covid-19 no setor das pescas, aquicultura e transformação do pescado através da flexibilização do Fundo Europeu dos Assuntos Marítimos e das Pescas (FEAMP).

Em Portugal, até agora, «os principais impactos têm sido no mercado e no eixo socioeconómico, e não na saúde dos pescadores e trabalhadores do setor da pesca e aquicultura», referiu Ricardo Serrão Santos.

O Ministro explicou que no início da pandemia foi adotado um plano de contingência para evitar a disseminação da doença. Foram implementadas medidas nacionais relativas à regulamentação do mercado, garantia de fornecimento de peixe à população e uma linha de crédito de 20 milhões de euros para apoiar a liquidez as empresas.

Ricardo Serrão Santos referiu ainda a adoção de medidas de apoio ao setor no âmbito do Fundo Europeu dos Assuntos Marítimos e das Pescas. O Ministro disse que devido à diminuição da procura de peixe fresco de alto valor, devido à atividade limitada de hotéis e restaurantes, bem como da atividade turística, e com o encerramento dos principais mercados estrangeiros, se prevê «uma queda progressiva nos preços do peixe e, consequentemente, uma queda no rendimento dos profissionais do setor», sublinhando ainda que as regiões ultraperiféricas são particularmente afetadas.
Áreas:
Mar