Saltar para conteúdo

Notícias

2021-05-24 às 13h40

Ministro da Defesa Nacional enaltece empenho de militares que estiveram no Afeganistão

Ministro da Defesa Nacional, João Gomes Cravinho, recebe última Força Nacional Destacada que regressou do Afeganistão, Aeródromo Militar de Lisboa, 24 maio 2021
O Ministro da Defesa Nacional, João Gomes Cravinho, enalteceu o empenho dos militares portugueses destacados no Afeganistão que hoje regressaram a Portugal, e que marca o fim de quase 20 anos da presença portuguesa naquele País em missão da NATO.

Dos 162 militares, 154 integraram a 6.ª Força Nacional Destacada na missão da NATO «Resolute Support Mission», responsáveis pela segurança no aeroporto de Cabul, no Afeganistão, aterraram esta manhã, no aeródromo de trânsito de Figo Maduro, em Lisboa.

Na cerimónia de receção aos militares o Ministro referiu que o regresso desta força ficará concluído ao longo dos próximos dias, com a chegada a Portugal dos 15 elementos que ainda ficaram no Afeganistão a tratar do envio para Portugal dos equipamentos.

«São 4500 militares que ao longo destes 20 anos prestaram serviço a Portugal no Afeganistão. Houve momentos difíceis, muito duros, momentos em que a qualidade dos nossos militares foi posta à prova todos esses momentos, essa qualidade deixou-nos com orgulho», disse.

Portugal empenhado nos esforços internacionais de segurança coletiva

João Gomes Cravinho destacou ainda a importância da participação de Portugal nos esforços internacionais de segurança cooperativa e coletiva:

«Esta intervenção no Afeganistão, como todos se recordam, foi devido ao atentado contra as Torres Gémeas. E nós ao fim de 20 anos coletivamente na NATO chegámos ao momento de poder dizer que as forças da NATO devem agora sair do país, havendo condições para termos alguma segurança quanto ao Afeganistão nunca mais ser utilizado como uma base para o terrorismo internacional como aconteceu no final do século passado e início deste século», afirmou.

O Ministro disse ainda que a NATO está a estudar a hipótese de uma nova missão, que ainda não está desenhada: «Será completamente diferente. Não será com este número de efetivos, nem com os objetivos da Resolute Support Mission, a missão que agora se encerra. Nestas próximas semanas, meses, será desenvolvido um novo conceito e Portugal estudará o interesse em participar nessa nova missão da NATO. Ainda não está delineada a missão e logo que houver condições para isso, nos próximos meses tomaremos as nossas decisões», concluiu.

Durante cerca de quatro meses, estes militares constituíram a Força de Reação Rápida, com a missão de vigilância e proteção ao aeroporto internacional "Hamid Karzai" em Cabul.  O Destacamento de Apoio Nacional garantiu o apoio administrativo-logístico aos militares portugueses neste teatro de operações, e os Elementos Nacionais Destacados asseguraram áreas funcionais, como a engenharia militar, as informações, o treino e aconselhamento.