Saltar para conteúdo

Notícias

2020-11-03 às 11h36

Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior destaca importância do diálogo entre ciência e sociedade

Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor, no Encontro Ciência 2020, Lisboa, 3 novembro 2020

O Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor destacou a importância do debate e do diálogo entre ciência e sociedade, no atual contexto de «risco e incerteza».

Manuel Heitor falava na abertura do Encontro Ciência 2020, a decorrer no Centro de Congressos de Lisboa entre 3 e 4 de novembro, sob o tema «Ciência em Portugal para uma Europa mais Resiliente».

Na sua intervenção o Ministro destacou o movimento «Patient Innovation», desenvolvido em Portugal e que tem atraído diversos cientistas internacionais e prémios nobel: 

Este movimento «é hoje - à escala do mundo - reconhecido e, sobretudo, apoia um processo de empowerment dos cidadãos e da população em geral com outras pessoas que precisam do conhecimento para poder dialogar», explicou Manuel Heitor.

 

Evolução da ciência na Europa e em Portugal

 

Sobre o tema do encontro, o Ministro referiu o comunicado da Comissão Europeia, de 20 de setembro, que reforça a necessidade dos países duplicarem, na próxima década, «o investimento público em ciência e tecnologia» e multiplicarem «pelo menos mais três vezes, o investimento privado em investigação e desenvolvimento de forma a que, em 2030 - e em qualquer zona europeia - estes valores cheguem a 3% da riqueza gerada».

Manuel Heitor afirmou também que «Nos últimos anos, na Europa, o investimento esteve praticamente estagnado, representando 2% da riqueza gerada e, por isso, é esta a altura - mais do que nunca - para afirmarmos a ciência e a tecnologia» o que «só é possível se abrirmos o dialogo à sociedade».

No caso português, Manuel Heitor destacou o facto de, em 2019, se ter atingido uma despesa de 3 mil milhões de euros, representando 1,4 % do PIB. O Ministro referiu, contudo, que «é preciso fazer mais do que isso» pelo que o Governo delineou, para 2030, um trajeto de mais investimento face aos valores atuais. Referiu ainda o Orçamento do Estado para 2021 já inclui «um aumento de 4% do orçamento da FCT, conjugado com a articulação de fundos comunitários».

Sobre a adesão ao ensino superior, o Ministro relembrou que houve também «um crescimento nunca visto em Portugal»:

«Nos últimos cinco anos passámos de cerca de 350 mil estudantes para 400 mil estudantes no ensino superior. Queremos chegar a 2030 com 6 em cada 10 jovens de 20 anos no ensino superior», disse, acrescentando que o Plano de Recuperação e Resiliência já prevê um impulso para jovens e adultos aumentarem a sua formação.