Saltar para conteúdo

Notícias

2020-04-24 às 13h47

Ministra da Agricultura destaca importância do comércio de proximidade em visita ao setor das carnes

Ministra da Agricultura, Maria do Céu Antunes, com proprietária de exploração hortícola, Paredes, 24 abril 2020
A Ministra da Agricultura, Maria do Céu Albuquerque, acompanhou o funcionamento de empresas do setor da carne e de explorações de hortícolas, no contexto da pandemia de Covid-19.

A Ministra visitou a PEC Nordeste, em Penafiel, uma empresa com mais de 20 anos de serviço no apoio à produção pecuária nacional, que mantém valiosas parcerias com as associações e agrupamentos de raças autóctones com Denominação de Origem Protegida, nomeadamente Barrosã, Maronesa, Minhota, Cachena e Arouquesa.

Maria do Céu Albuquerque afirmou que, «no Plano de Medidas Excecionais, procurou-se garantir o apoio à manutenção da atividade dos produtores de espécies autóctones. Foi ainda assegurado o enquadramento do pastoreio, em áreas de pousio, sujeitas a restrição por obrigações associadas a compromissos ambientais assumidos para o ano de 2020, reduzindo assim os custos na alimentação e maneio dos animais que permanecem no campo». 

Foi também feito um reforço dos pagamentos diretos e das ajudas para o desenvolvimento rural para 70% e 85%, respetivamente, e que engloba os pagamentos ligados às vacas em aleitamento e leiteiras, aos ovinos e caprinos, como também o apoio às zonas com condicionantes naturais. 

A Ministra visitou uma produtora local de Paredes integrada no projeto PROVE, promovido pelo Grupo de Ação Local Ader-Sousa, que já assegurou a sua inscrição na plataforma www.alimentequemoalimenta.pt. Esta produtora, Alda Moreira, distribuía cerca de 75 cabazes antes desta crise, mas com a nova realidade viu a sua produção aumentar para 100 cabazes por semana. 
 
Maria do Céu Albuquerque revelou que cerca de 700 produtores já se inscreveram na plataforma www.alimentequemoalimenta.pt, o site lançado pela área de Governo da Agricultura há uma semana, que conta já com 50 mil visitas. 

A Ministra destacou a mudança de comportamentos devida aos efeitos da pandemia, e reafirmou que «é precisar valorizar o que é nosso, os nossos produtos locais, que têm de ser reconhecidos pela sua qualidade. Quando estamos a consumir produtos próximos, produtos de época, estamos a diminuir a nossa pegada ecológica, bem como a apoiar os nossos agricultores. E, assim, estamos a alimentar quem sempre nos alimentou». 

Em Vila Real, Maria do Céu Albuquerque assistiu à inscrição do Agrupamento de Produtores de Carne Maronesa na plataforma www.alimentequemoalimenta.pt

A Ministra lembrou que este é um dos setores mais afetados pelo encerramento dos hotéis, restaurantes e cafés, devido à pandemia, e recordou as medidas de apoio à tesouraria e as garantias da União Europeia: «fomos pedindo à Comissão Europeia um conjunto de medidas excecionais que, finalmente, foram aprovadas. Em concreto, vai ser permitido o armazenamento privado dos laticínios, assim como da carne de vaca, de ovino e de caprino»