Saltar para conteúdo

Notícias

2020-06-03 às 19h08

Marca dos politécnicos tem de ser cada vez mais valorizada

O Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor, afirmou que os politécnicos «são uma marca de qualidade» que tem de ser preservada e cada vez mais valorizada porque é uma marca «de grande confiança junto dos empregadores e da sociedade portuguesa».

Em Setúbal, após a tomada de posse de Pedro Dominguinhos como presidente do Conselho Coordenador dos Institutos Superiores Politécnicos, o Ministro referiu também que o verão de 2020 pode ser aproveitado para uma oferta grande de cursos, «atraindo estudantes bolseiros da ação social, outros estudantes, desempregados e empregados, adultos ativos».

«Outro desafio, para o próximo ano, é a constituição de consórcios para a pós-graduação pelos institutos politécnicos e empregadores de âmbito regional, para formar um grupo de escolas de pós-graduação que promovam cursos curtos para trabalhadores no ativo», acrescentou.

Manuel Heitor disse também que «os politécnicos têm uma malha de instalação no território nacional que é única». «Temos politécnicos em mais de 50 distritos e, por isso, a penetração regional é muito importante - tem sido muito importante para a formação inicial e vai continuar a ser -, mas agora têm também o desfio de ativar consórcios com os empregadores para as escolas de pós-graduação e atividade de pós-graduação», sublinhou.