Saltar para conteúdo

Notícias

2020-06-16 às 18h26

Mais de 20 dirigentes da Administração Pública assinam Declaração Colaborativa

Ministra da Modernização do Estado e da Administração Pública, Alexandra Leitão, na assinatura da Declaração Colaborativa, Lisboa, 16 junho 2020 (Foto: João Bica)
Mais de 20 dirigentes públicos assinaram a Declaração Colaborativa, um compromisso para adotar formas de modernizar e de inovar, melhorar práticas, simplificar procedimentos, desmaterializar processos, identificar lições aprendidas, aumentar a eficiência e eficácia dos processos e a qualidade dos serviços prestados, numa lógica colaborativa e de partilha de boas práticas.

A Declaração Colaborativa agora assinada, numa cerimónia que decorreu no Ministério da Modernização do Estado e da Administração Pública, em Lisboa, e que contou com a presença da Ministra da Modernização do Estado e da Administração Pública.

Na sua intervenção, a Ministra Alexandra Leitão saudou esta iniciativa dos dirigentes públicos e sublinhou que este novo Ministério pretende «ser um catalisador das boas práticas que já existem na Administração Pública», de que é exemplo esta Declaração Colaborativa.

Depois de em janeiro, o Governo ter promovido uma ampla reflexão sobre a adequação da Administração Pública aos desafios do mundo atual e sobre como pode a AP reforçar a sua capacidade de resposta, através da realização de Oficinas Participativas, esta Declaração nasce agora da vontade dos dirigentes de capacitar a Administração Pública para responder ao ambiente de trabalho diferente entretanto criado por força da crise pandémica.

De facto, esta crise provocada pela Covid-19 acelerou uma força já em curso no seio da Administração Pública: o reforço do trabalho colaborativo entre entidades públicas, de uma forma orgânica e fluida. Em pouco mais de duas semanas, 75 pessoas de 27 entidades públicas e da sociedade civil desenvolveram 22 projetos – materializados no Plano de Trabalho Colaborativo da AP – que procuram responder aos desafios resultantes do novo contexto que toda a sociedade passou a viver e que vão desde o teletrabalho, à liderança de equipas em contexto remoto, à saúde mental, à saúde e segurança no trabalho, etc.

A Declaração Colaborativa prevê a criação de uma Grupo de Coordenação que irá apresentar um novo plano de trabalho colaborativo. Este segundo plano de trabalho deverá ter um conjunto de projetos que procurem alcançar objetivos conjuntos e criar valor público, em particular em domínios transversais que operacionalizem a estratégia para a modernização do Estado e da Administração Pública, nomeadamente: nos domínios da gestão da mudança e de processos transformacionais; da prestação de serviços e da utilização de novas tecnologias.