Saltar para conteúdo

Notícias

2021-07-22 às 16h26

Mais 26 concelhos em risco elevado ou muito elevado por causa da pandemia

Ministra de Estado e da Presidência, Mariana Vieira da Silva, durante a conferência de imprensa após a reunião do Conselho de Ministros, Lisboa, 22 julho 2021 (Foto: João Bica)
A Ministra de Estado e da Presidência, Mariana Vieira da Silva, afirmou que o território continental de Portugal tem esta semana mais 26 concelhos em risco elevado ou muito elevado por causa da pandemia de Covid-19.

Durante a conferência de imprensa após a reunião do Conselho de Ministros, a Ministra destacou que há hoje 61 concelhos em risco muito elevado (46 há uma semana), 55 em risco elevado (44 há uma semana), e 29 concelhos em situação de alerta.

Mariana Vieira da Silva esclareceu que esta semana não foram alteradas regras e que a pandemia está a ser controlada «pela eficácia e pelo cumprimento das regras da matriz de risco». «Portugal está hoje numa zona de vermelho menos denso do que era há umas semanas», disse, acrescentando que o índice de transmissão está acima de 1 mas tem vindo a diminuir, enquanto o nível de incidência atingiu os 421,3 casos por 100 mil habitantes a 14 dias.

A Ministra antecipou também que após a reunião no Infarmed, agendada para a próxima terça-feira, 27 de julho, o Governo tomará novas medidas em função das análises dos especialistas. Mariana Vieira da Silva destacou ainda que Portugal está a aproximar-se do momento em que grande parte da população terá a vacinação completa e que, a partir daí, deverá haver uma mudança de políticas.

O comunicado do Conselho de Ministros enumera, como habitual, os concelhos em alerta, risco elevado e risco muito elevado.

As medidas de risco elevado aplicam-se aos municípios de Águeda, Alcobaça, Alcoutim, Amarante, Anadia,  Arruda dos Vinhos, Avis, Barcelos, Bombarral, Braga, Cadaval, Caldas da Rainha, Cantanhede, Cartaxo, Castelo de Paiva, Castro Marim, Chaves, Coimbra, Constância,  Elvas, Estarreja, Fafe, Felgueiras, Figueira da Foz, Guarda, Guimarães, Leiria, Marco de Canaveses, Marinha Grande, Mogadouro, Montemor-o-Novo, Montemor-o-Velho, Murtosa, Óbidos, Ourém, Ovar, Paços de Ferreira, Paredes de Coura, Penafiel,  Porto de Mós, Rio Maior, Salvaterra de Magos, Santa Maria da Feira, Santarém, Santiago do Cacém, São João da Madeira, Serpa, Torres Vedras, Trofa, Valpaços, Viana do Castelo, Vila do Conde, Vila Real, Vila Viçosa e Vizela. 

As medidas de risco muito elevado aplicam-se aos municípios de Albergaria-a-Velha, Albufeira, Alcochete, Alenquer, Aljustrel, Almada, Amadora, Arraiolos, Aveiro, Azambuja, Barreiro, Batalha, Benavente, Cascais, Espinho, Faro, Gondomar, Ílhavo, Lagoa, Lagos, Lisboa, Loulé, Loures, Lourinhã, Lousada, Mafra, Maia, Matosinhos, Mira, Moita, Montijo, Nazaré, Odivelas, Oeiras, Olhão, Oliveira do Bairro, Palmela, Paredes, Pedrógão Grande, Peniche, Portimão, Porto, Póvoa de Varzim, Santo Tirso, São Brás de Alportel, Seixal, Sesimbra, Setúbal, Silves, Sines, Sintra, Sobral de Monte Agraço, Tavira, Vagos, Valongo, Vila do Bispo, Vila Franca de Xira, Vila Nova de Famalicão, Vila Nova de Gaia, Vila Real de Santo António e Viseu aplicam-se as medidas de risco muito elevado.

Entram em alerta os municípios de Aljezur, Almeirim, Almodôvar, Amares, Beja, Bragança, Celorico de Basto, Cinfães, Cuba, Entroncamento, Esposende, Évora, Freixo de Espada à Cinta, Mealhada, Miranda do Douro, Mirandela, Montalegre, Moura, Odemira, Oliveira de Azeméis, Pombal, Ponte de Lima, Póvoa de Lanhoso, Resende, São João da Pesqueira, Tomar, Torres Novas, Vale de Cambra, Vila Pouca de Aguiar.