Saltar para conteúdo

Notícias

2021-03-12 às 15h32

Inovações tecnológicas têm de ser inclusivas para ninguém ficar para trás

Secretária de Estado da Inclusão das Pessoas com Deficiência, Ana Sofia Antunes (Foto: João Bica)
A Secretária de Estado da Inclusão das Pessoas com Deficiência, Ana Sofia Antunes, afirmou que será necessário apostar na inclusão das inovações tecnológicas para «garantir que as pessoas com deficiência não ficam para trás».

No congresso «Humanizar o Ensino Digital», a Secretária de Estado salientou a importância da transposição da diretiva europeia de acessibilidade a conteúdo, bens e serviços, até junho de 2022, para determinar o futuro em matéria de promoção da acessibilidade, nomeadamente a digital.

«O papel de exigir que as evoluções tecnológicas que venham a surgir tenham de base requisitos de acessibilidade é uma forma de garantir que as pessoas com deficiência não ficam para trás», sublinhou.

Ana Sofia Antunes reiterou que as novas tecnologias têm um grande impacto para que o ensino possa ser mais completo e é fundamental que as crianças com deficiência possam estar em «pé de igualdade».

«Na maioria, os equipamentos não surgem com a devida adaptação ou preparação de raiz para serem utilizados por todos e para serem tecnologias inclusivas», lamentou.

A Secretária de Estado afirmou que o processo da transição digital «vai ser condição base para a mobilização de qualquer tipo de fundos, seja ao nível do Plano de Recuperação e Resiliência, seja ao nível do novo quadro financeiro plurianual da União Europeia». Neste contexto, a inclusão «é um pré-requisito para todos os projetos que venham a ser apresentados em matéria de fundos, e isto é uma conquista gigantesca para as pessoas com deficiência».

«Acredito que, do bom trabalho que consigamos fazer até junho de 2022 ao nível da transposição desta diretiva, muito dependerá aquilo que resultará em termos de obrigações legais, seja para o Estado português, seja para os privados, em matéria de promoção da acessibilidade, principalmente a acessibilidade digital», acrescentou.