Saltar para conteúdo

Notícias

2020-04-22 às 11h29

Força Aérea teve «uma reação extremamente rápida» para acolher emigrantes

Ministro da Defesa Nacional, João Gomes Cravinho, e Secretária de Estado para a Integração e as Migrações, Cláudia Pereira, no Centro de Formação Militar e Técnica da Força Aérea , Alenquer, 22 abril 2020

O Ministro da Defesa Nacional, João Gomes Cravinho, acompanhado pela Secretária de Estado para a Integração e as Migrações, Cláudia Pereira, visitaram o Centro de Formação Militar e Técnica da Força Aérea, na Ota, onde estão 171 migrantes a cumprir quarentena.

João Gomes Cravinho referiu, à comunicação social, que houve «uma reação extremamente rápida por parte da Força Aérea que se disponibilizou para acolher este migrantes» neste Centro de Acolhimento, que em seis horas se preparou para recebê-los. O Ministro relembrou também a decisão do executivo de tratar os «requerentes de asilo ou em situação irregular como qualquer cidadão português, durante este período da pandemia». 

«Nós quisemos assegurar que estas pessoas, que chegaram a Portugal, tinham todas as condições para serem tratadas do ponto de vista médico», «para que possam recuperar plenamente», disse ainda.

João Gomes Cravinho afirmou também que esta foi uma operação de «alguma complexidade, tendo em conta a grande diversidade de nacionalidades» e que «houve aqui um trabalho de grande interação com as diferentes identidades envolvidas», designadamente, a Força Aérea, o Serviço Nacional de Saúde e a Proteção Civil.

O Ministro agradeceu ainda ao presidente da Câmara Municipal de Alenquer que, além de ter dado «um acolhimento muito positivo» a estes migrantes, «está a trabalhar para fornecer alguns dos bens necessários».

A Secretária de Estado, por sua vez, relembrou que o acolhimento de requerentes de asilo e refugiados é uma das medidas previstas no programa deste Governo.

«É um processo que está em transição e estamos a revê-lo de modo a assegurar, ente os diferentes ministérios, as melhores condições» para estas pessoas, disse Cláudia Pereira, acrescentando que o apoio da Segurança Social para emigrantes rondou, em 2019, os 651 milhões de euros.