Saltar para conteúdo

Notícias

2021-04-01 às 17h01

Fátima Fonseca em conferência da OCDE sobre governação e competitividade para o desenvolvimento

Secretária de Estado da Inovação e da Modernização Administrativa, Fátima Fonseca
A Secretária de Estado da Inovação e da Modernização Administrativa, Fátima Fonseca, afirmou que é preciso que as sociedades percorram em conjunto um caminho de recuperação mais coeso e inclusivo, rumo a um desenvolvimento integrado e sustentável, tendo a cooperação como instrumento fundamental para sociedades resilientes e competitivas.

Fátima Fonseca falava na Conferência Ministerial «Traçando um percurso para a recuperação no Médio Oriente e Norte de África» (Designing a Roadmap to Recovery in MENA), uma organização conjunta da da Iniciativa da OCDE sobre Governação e Competitividade para o Desenvolvimento» e do Governo tunisino.

A Secretária de Estado participou no painel sobre políticas centradas nas pessoas para sociedades mais resilientes e inclusivas, a par dos Ministros e respetivos representantes da Autoridade Palestiniana, Arábia Saudita, Emiratos Árabes Unidos, Eslovénia, Líbano e Tunísia.

«Investimos na simplificação e na digitalização, mas também nas lideranças e na inovação, ao mesmo tempo que estimulamos a participação e desenvolvemos a capacitação. Mas queremos ir mais longe, e é por isso que estabelecemos um roteiro para modernizar os serviços públicos, com um foco amplo: na tecnologia, nas pessoas e nas instituições», sublinhou a Secretária de Estado.

Fátima Fonseca disse ainda que estas são linhas de ação intimamente relacionadas com o lema da presidência portuguesa do Conselho da União Europeia, «"Tempo de agir: por uma recuperação justa, verde e digital». Um lema que apresenta as três dimensões centrais da recuperação europeia e as suas principais prioridades, plasmadas na transformação preconizada para o setor público. 

«É através do compromisso conjunto e de uma ação política coordenada que alcançaremos as reformas de modernização e inovação que irão contribuir para o desenvolvimento económico, social e de governação pública», acrescentou.