Saltar para conteúdo

Notícias

2020-01-06 às 16h07

«Estamos a preparar uma geração ainda melhor do que a atual»

Primeiro-Ministro António Costa e Ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, na inauguração da requalificação da escola Carlos Teixeira, Fafe, 6 janeiro 2020 (Foto: José Coelho/Lusa)
«Hoje dizemos, com muito orgulho, que temos a geração mais bem preparada de sempre, mas há outra história que é preciso começar a contar: é que estamos a preparar uma geração que ainda vai ser melhor preparada do que a atual», afirmou o Primeiro-Ministro António Costa.

O Primeiro-Ministro disse que o investimento feito na educação, na anterior legislatura, permite que o País esteja a formar uma geração que ainda vai estar mais bem preparada do que saiu das escolas e universidades nos últimos anos.

Assinalando o início do 2.º período letivo, foram inauguradas as requalificações de duas escolas em Fafe, a Escola Secundária e a Escola Básica Professor Carlos Teixeira, respetivamente com cerca de 1200 e 1400 alunos, e com um investimento que ultrapassou os 8 milhões de euros, e da Escola Secundária Latino Coelho, o histórico Liceu de Lamego, cuja traça foi mantida, cum um investimento de cerca de 4 milhões de euros.  

Estas requalificações foram feitas no âmbito de acordos de colaboração entre a área da Educação e os municípios, tendo, no caso de Fafe, a Câmara Municipal investido 4,4 milhões.

Discursando em Fafe, António Costa afirmou que o que as escolas estão «a formar são os cidadãos de amanhã. É muito importante termos profissionais competentes, mas para termos profissionais competentes, empresas competentes e instituições competentes, temos, acima de tudo, de ter excelentes cidadãos, e é isso que está aqui a ser feito».

Educação é decisiva

O Primeiro-Ministro reafirmou que a aposta na educação «vai ser absolutamente decisiva para o futuro, para a transformação da sociedade e para a transformação do tecido económico».

O Primeiro-Ministro lembrou que «o País viveu uma crise profunda», durante a qual «as obras nas escolas foram paradas ou nem sequer iniciadas» e que «quando se programou o quadro do Portugal 2020 foi considerado que o investimento nas escolas não era prioritário». 

«Do antigo QREN para o atual quadro do Portugal 2020, o investimento baixou de dois mil e duzentos milhões de euros para trezentos e cinquenta milhões», referiu, tendo o seu anterior Governo criado as condições para «recomeçar as obras que estavam paradas ou arrancar com obras que nem sequer tinham sido iniciadas», através da reprogramação dos fundos comunitários.

António Costa disse que «é muito importante, simbolicamente, verificar que este esforço valeu a pena», acrescentando que ele «acontece um pouco por todo o País e assim deve continuar a ser», sendo «muito importante, quando se discute o Orçamento, podermos fazer as escolhas certas».

111 milhões para requalificação de escolas

O Ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, disse que a reprogramação dos fundos do Portugal 2020 disponibilizou cerca de 111 milhões para a requalificação de escolas nas várias regiões do País.

Destes, 47 milhões de euros servirão para requalificar escolas na região Centro, depois de, em junho, ter anunciado 39 milhões de euros destinados à requalificação de escolas no Norte.

«São novas dezenas de escolas que vão ter a fortuna de ter os seus espaços requalificados para que possam cumprir em pleno, como aqui acontece, uma vida nova», afirmou em Fafe.

O Ministro lembrou também que, nos últimos anos, em colaboração com os municípios, o País fez intervenções em mais de 200 escolas, alocando 350 milhões de euros de fundos comunitários.

Acompanharam o Primeiro-Ministro, o Ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, e os Secretários de Estado Adjunto do Primeiro-Ministro, Tiago Antunes, Adjunto e da Educação, João Costa, da Educação, Susana Amador, e da Juventude e Desporto, João Paulo Rebelo.