Saltar para conteúdo

Notícias

2021-01-25 às 16h05

«É fundamental que se consiga fazer o caminho em conjunto» rumo à neutralidade carbónica

Ministro do Ambiente e da Ação Climática, Matos Fernandes, Assembleia da República, 22 julho 2020 (foto: Mário Cruz/Lusa)
O Ministro do Ambiente e da Ação Climática, João Pedro Matos Fernandes, destacou a importância «fundamental» que os Estados-membros cumpram os objetivos de neutralidade carbónica até 2050.

Durante uma audição virtual com a comissão do Parlamento Europeu para o Ambiente, o Ministro salientou ser «fundamental que se consiga fazer o caminho em conjunto» até atingir a neutralidade carbónica em 2050 e, antes disso, conseguir uma redução de 55% nas emissões até 2030.

«É mesmo bom que cada país, dentro daquilo que pode fazer, tenha um compromisso muito sério para não ficar à espera que o país do lado o compense nas suas emissões», acrescentou, salientando que «quem está mais longe é também quem menos fez» na descarbonização da economia e na procura de uma transição energética para fontes limpas.

Matos Fernandes salientou a obrigação de a Europa ser o primeiro continente a comprometer-se com a sua neutralidade carbónica e destacou a importância de se aprovar uma lei climática ainda durante a presidência portuguesa do Conselho da União Europeia.

«Posso garantir-vos que tudo faremos para que haja lei do clima no final deste semestre, mas não ponham a questão como se fosse só minha ou do conselho», disse, sublinhando que ainda há divergências entre os países.

O Ministro afirmou que «a proposta do Conselho não é de uma obrigatoriedade para cada país, mas uma obrigatoriedade para o conjunto dos estados-membros» na redução de emissões.