Saltar para conteúdo

Notícias

2019-11-15 às 11h57

«É fundamental estarmos preparados para todos os riscos»

Ministros da Administração Interna e da Educação, no exercício «A Terra Treme», Oeiras, 15 novembro 2019 (Foto: João Bica)
Os Ministros da Administração Interna, Eduardo Cabrita, e da Educação, Tiago Brandão Rodrigues destacarem a importância de privilegiar as escolas para promover campanhas de divulgação sobre as reações que os cidadãos devem ter quando ocorrem sismos.

Sendo «fundamental estarmos preparados para todos os riscos», disse Eduardo Cabrita, a melhor forma de o fazer é começar pelas escolas e «com aqueles que têm toda uma vida à frente para reagir a situações destas e até para educar os seus pais, familiares e amigos».

Os dois Ministros assistiram ao exercício de proteção civil «A Terra Treme», na Escola Secundária Sebastião e Silva, em Oeiras, acompanhados pelos Secretários de Estado da Administração Interna, Patrícia Gaspar, Adjunto e da Educação, João Costa, e pelo presidente da Câmara Municipal de Oeiras, Isaltino Morais.

Baixar, proteger e aguardar

«Baixar, proteger e aguardar», são as três ações que nortearam o exercício organizado pelos Ministérios da Administração Interna e da Educação, através da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC) e em parceria com a Direção-Geral de Educação (DGE) e a Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares (DGEsTE).

O Ministro da Educação, por sua vez, afirmou que os exercícios e simulacros feitos nas escolas podem «irradiar para o resto da sociedade e salvar muitas vidas» quando um sismo verdadeiro acontecer. 

Tiago Brandão Rodrigues realçou ainda o facto de as crianças e os jovens portugueses estarem cada vez mais sensibilizados para o risco e referiu a importância deste tipo de exercícios passar a ser feito também na indústria, no comércio e nos órgãos de comunicação social.

O exercício nacional «A Terra Treme», já na sua sétima edição, destina-se a sensibilizar a população para o risco sísmico e sobre os comportamentos a adotar em caso de terramoto.

Avaliações de risco sísmico

O Ministro da Administração Interna afirmou ainda que as avaliações de risco sísmico passam a ser obrigatórias para todas as obras de grande dimensão, conforme determinado pela Portaria da Secretária de Estado da Habitação que entrou agora em vigor.

Eduardo Cabrita explicou que esta medida estabelece que a avaliação do risco sísmico já não se limita às novas construções, passando também a ser obrigatória para as situações de «reabilitação ou ampliação de um prédio antigo».