Saltar para conteúdo

Notícias

2020-12-15 às 19h01

Dinâmica da cultura em 2021 será «muito importante» para o setor

Ministra da Cultura, Graça Fonseca, durante a apresentação da programação cultural portuguesa para a presidência da União Europeia, Belém, 15 dezembro 2020 (Foto: João Bica)
A Ministra da Cultura, Graça Fonseca, afirmou que a dinâmica da cultura em 2021 será «muito importante» para o setor cultural em Portugal e na Europa».

Em Belém, na apresentação da programação cultural da presidência portuguesa da União Europeia, no primeiro semestre de 2021, a Ministra referiu que a realização de eventos como conferências, teatros e concertos inaugurais previstos para os equipamentos culturais em Portugal será uma forma de «mostrar a importância que a cultura tem na vida».

Graça Fonseca sublinhou também «o momento muito importante do ponto de vista político» que será a presidência portuguesa: «A discussão sobre a Europa resiliente, o novo ciclo financeiro, quer do orçamento plurianual, quer do instrumento de recuperação económica e resiliência, e a discussão sobre a resiliência no setor da Cultura e, particularmente, para os profissionais do setor, são muito importantes para podermos começar este caminho da retoma e de resolver os problemas que o ano de 2020 deixou ainda mais a descoberto no setor cultural em Portugal e não só».

A programação cultural da presidência portuguesa tem presente duas grandes prioridades: uma Europa mais resiliente e uma Europa social. «E é por isso que decidimos que a prioridade política da Cultura durante este semestre seria a resiliência e a retoma económica dos setores culturais e criativos, com uma dimensão muito particular às condições de trabalho e a um modelo social europeu da proteção social», disse a Ministra.

A programação cultural não será apenas uma «oportunidade de uma montra de Cultura, mas também uma oportunidade muito importante de realçar o que devem ser os grandes objetivos que devem nortear, neste caso, a área da Cultura da presidência portuguesa».
O orçamento para a cultura da presidência portuguesa terá um orçamento global a rondar os 1,4 milhões de euros.