Saltar para conteúdo

Notícias

2021-01-22 às 10h03

Desporto contribui para a «plena integração» das comunidades imigrantes

Secretária de Estado para a Integração e as Migrações, Cláudia Pereira

A Secretária de Estado para a Integração e as Migrações, Cláudia Pereira, afirmou que o desporto é uma das «principais ferramentas» para consumar a «plena integração» das comunidades imigrantes em Portugal.

Numa sessão virtual do Panathlon Clube de Lisboa, Cláudia Pereira disse que «o desporto é uma medida estratégica para ter uma sociedade mais rica, equilibrada e coesa e um instrumento essencial para capacitar os líderes do amanhã». A Secretária de Estado realçou também, neste âmbito, o empenho e profissionalismo do movimento desportivo, muitas vezes de forma gratuita».

«Muitas vezes, os campos de basquetebol e futebol são o único espaço onde pessoas de diferentes nacionalidades se encontram. Dou um exemplo: em Lisboa, o Campo Mártires da Pátria é o único espaço onde se reúnem chineses, alemães, bangladeshianos, cabo-verdianos e portugueses. É um dos mecanismos mais eficazes de integração», disse.

Além do estímulo às autarquias para construírem equipamentos destinados «a quem não consegue pagar as mensalidades de prática de desporto», Cláudia Pereira lembrou o contributo do Alto Comissariado para as Migrações (ACM) em três iniciativas inclusivas:

«O programa Escolhas existe há 20 anos e funciona em bairros com elevado nível de desemprego, delinquência e abandono ou insucesso escolar. Por outro lado, desde 2003 que o país tem desenvolvido uma integração de proximidade através de 114 locais de apoio aos imigrantes, além dos centros nacionais em Lisboa, Porto e Faro», referiu.

Para além deste «exemplo emblemático do desporto como mecanismo de integração», o ACM também protocolou com a Fundação Benfica a prática de futebol por parte de 43 crianças e jovens provenientes de campos de refugiados na Grécia.

«Dos 500 refugiados previstos, já acolhemos 178. Estas práticas quotidianas de educação não formal, como o desporto, são vitais e ajudam as crianças a ter competências sociais. Em países onde há guerra, muitas vezes é impossível ir à escola ou ter práticas desportivas», disse a Secretária de Estado para a Integração e as Migrações.

Cláudia Pereira qualificou ainda, como «história de sucesso», o sonho olímpico do refugiado afegão Farid Walizadeh, pugilista que renasceu em Portugal desde o acolhimento em 28 de dezembro de 2012, após uma vida de inúmeros obstáculos.