Saltar para conteúdo

Notícias

2021-03-19 às 12h11

«Cuidados continuados integrados têm de ser uma prioridade»

Primeiro-Ministro, António Costa, na inauguração do Centro de Saúde Nazaré - USF Global, Nazaré, 19 março 2021 (Foto: Paulo Cunha/LUSA)

O Primeiro-Ministro, António Costa, afirmou que os cuidados continuados integrados «são uma prioridade» e que o Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) constitui um oportunidade para completar a rede no País.

O Primeiro-Ministro falava durante a inauguração do Centro de Saúde Nazaré - Unidade de Saúde Familiar Global, onde esteve acompanhado pela Ministra da Saúde, Marta Temido, e pela Ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa.

«Sabemos bem que a nossa população aumentou a esperança de vida» e com ela aumentou também o número de doenças que necessitam de ser tratadas ao longo do resto da vida» para termos uma «vida saudável até ao fim», disse António Costa, acrescentando que o esforço de investimento no Serviço Nacional de Saúde (SNS) tem de ser continuado e não deve servir apenas para responder ao que faz falta no dia-a-dia.

«Temos metas ambiciosas. E é por isso que vamos utilizar uma parte muito importante do Plano de Recuperação e Resiliência para reforçar ainda mais o SNS» e «fazer as mudanças estruturais que ajudam a reforçar o SNS na sua base», isto é, «nas Unidades de Saúde Familiar, nos cuidados continuados integrados, na rede dos cuidados paliativos, no desenvolvimento da rede de cuidados de saúde mental», explicou.

Pegando no exemplo do Centro de Saúde Nazaré - USF Global, agora inaugurado, o Primeiro-Ministro disse que não basta construir «centros de saúde com melhores instalações» mas, também, «centros de saúde que ofereçam mais valências de saúde à população».

«Este Centro de Saúde já tem uma cadeira de dentista mas, no PRR, um dos objetivos e que em todas as USF exista tratamento de saúde mental e exista cadeira de dentista. Porque a saúde oral é fundamental, esse é um grande investimento estratégico que vamos fazer», afirmou.

António Costa disse também que este grande investimento na Saúde – só para este ano estão previstos mais de 1200 milhões de euros - será feito em parceria «com as IPSS, as misericórdias, as mutualidades».

No caso dos Cuidados de Saúde Primários, o Primeiro-Ministro disse ainda que estão previstas iniciar, com o PRR, «mais de cem unidades».

António Costa disse ainda que a abertura deste novo centro «significa o início de todos os outros centros» que vão ser construídos ao longo do País e que «como este ano duramente nos ensinou, não há bem maior do que a saúde e que a saúde deve estar sempre em primeiro lugar».