Saltar para conteúdo

Notícias

2020-02-28 às 15h58

Crescimento económico foi 2,2% em 2019

Linha de embalagem de produtos médicos
O Produto Interno Bruto português cresceu 2,2% em termos reais em 2019, segundo dados divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística, que reviu em alta anteriores estimativas. Os dados para 2018 são igualmente revistos em alta, tendo o PIB crescido 2,6%.

De acordo com a informação agora disponível, entre 2015 e 2019 o PIB em Portugal terá crescido cerca de 3 pontos percentuais acima do PIB da área do euro. Esta é uma convergência inédita desde o início da área do euro e coloca Portugal como a terceira economia da UE15 (conjunto de países anterior à abertura da União Europeia a Leste) que mais cresceu desde 2015. Nestes quatros anos, Portugal cresceu 10,7% em termos reais e 18,1% em termos nominais.  

No plano interno destaca-se o crescimento do investimento de 6,5%, atingindo o valor absoluto mais elevado desde 2011. O crescimento do investimento fora já de 6,2% em 2018 e de 11,9% em 2017, valores que traduzem a confiança dos agentes económicos e a perspetiva positiva de crescimento da economia portuguesa nos próximos anos. 

O investimento em bens (Formação Bruta de Capital Fixo) na construção aumentou 9,4%, e em produtos de propriedade intelectual aumentou 6,5%, em ambos os casos acelerando face a 2018, tendo também aumentado o investimento em máquinas e equipamentos (4,7%). 

O consumo privado teve um crescimento de 2,3%, uma desaceleração face aos 2,9% de 2018, em parte justificada pela diminuição das despesas com a aquisição de veículos automóveis. O consumo público avançou 0,8% em 2019, o que revela a continuação do esforço de consolidação orçamental em curso.  

Ainda de acordo com o INE, o emprego registou um aumento de 0,8% em 2019, tendo o emprego remunerado aumentado 1,7%. Portugal conseguiu criar cerca de 400 000 postos de trabalho nos últimos quatro anos, reduzindo a taxa de desemprego para um valor que se encontra agora perto do seu equilíbrio natural.  

Comércio externo

No plano externo, destaca-se um aumento das exportações de 3,7%, um valor particularmente relevante num cenário de incerteza e desaceleração do crescimento dos principais parceiros comerciais, e um aumento das importações de 5,2%. 

Verificou-se, contudo, um ganho nos termos de troca (relação entre os valores das importações e das exportações) de 0,7%, indicador que registou valores positivos pela primeira vez desde 2016. O saldo externo de bens e serviços encontra-se equilibrado, apresentando um valor ligeiramente positivo em 0,1%.

O INE reviu também em alta o valor do Produto Interno Bruto do 4.º trimestre de 2019, face à estimativa anterior. Assim, o PIB terá crescido 0,7% face ao trimestre anterior, sustentado sobretudo num robusto crescimento das exportações de bens e serviços de 6,3%, em termos homólogos (comparação com o mesmo período do ano anterior). Estes dados desenham uma boa perspetiva para o ano em curso.  

Crescimento robusto

Os dados revistos pelo INE permitem concluir pela robustez e pela sustentabilidade do crescimento da economia portuguesa. 

Os últimos quatro anos são marcados por uma significativa criação de emprego, pelo aumento do investimento, pelo equilíbrio orçamental das Administrações Públicas, em paralelo com um importante esforço de investimento na capacidade e nos profissionais dos serviços públicos, em particular na Saúde e na Educação, e pelo saldo externo positivo.   

Esta evolução ocorre a par de um importante esforço de desendividamento do Estado, das empresas e das famílias e num cenário de incerteza internacional que tem limitado o crescimento dos principais parceiros comerciais de Portugal, confirmando as bases sólidas para o crescimento económico futuro.