Saltar para conteúdo

Notícias

2020-01-16 às 19h01

Contribuições dos imigrantes «são muito maiores que os benefícios» que recebem

A Ministra de Estado e da Presidência, Mariana Vieira da Silva, afirmou que as contribuições dos imigrantes em Portugal «são muito maiores que os benefícios», destacando a importância de «realçar que «não há utilização dos benefícios sociais por parte dos migrantes».

Em Paris, em declarações à Lusa no seguimento de um painel na Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE), a Ministra salientou a necessidade de «repetir os factos e desmontar os mitos».

Mariana Vieira da Silva referiu que a procura de trabalhadores e a necessidade de maior crescimento demográfico são pontos onde a imigração tem ajudado no desenvolvimento do País, acrescentando a vontade do Governo em criar condições para que estas pessoas se possam estabelecer em Portugal. De acordo com os números divulgados esta semana, Portugal registou uma entrada recorde de 580 mil pessoas no País durante o ano de 2019.

«Isso faz-se simplificando todas as relações com a administração, acolhendo e integrando melhor usando todos os sistemas sociais, no ensino do português e mantendo uma boa relação de desenvolvimento com os países de origem», acrescentou.

Nos debates da OCDE, Portugal «traz uma experiência de muitos anos em duas coisas: a integração multinível, uma relação entre os Governos nacionais, os municípios e a ação local, e a outra é uma grande integração da sociedade civil nesta resposta».

Mariana Vieira da Silva abordou também a difícil fixação em território nacional por parte dos refugiados, que «procuram oportunidades de trabalho, um salário e alojamento, mas também ir ao encontro das suas redes familiares» e referiu que o País está a «melhorar a capacidade de resposta».

«Sabemos que ter documentos e saber português são as duas ferramentas fundamentais para a integração e é nestas duas dimensões que estamos a trabalhar», disse.
Tags: imigração
Áreas:
Presidência