Saltar para conteúdo

Notícias

2019-10-30 às 19h42

Construção de um país moderno e inovador implica pensar nas pessoas

Ministro de Estado, da Economia e da Transição Digital, Pedro Siza Vieira, no debate de apreciação do Programa do Governo na Assembleia da República, Lisboa, 30 outubro 2019 (Foto: Manuel de Almeida/Lusa)
O Ministro de Estado, da Economia e da Transição Digital, Pedro Siza Vieira, afirmou que «a mais decisiva aposta na construção de um país moderno e inovador implica, sobretudo, pensar nas pessoas».

Durante a intervenção no debate de apreciação do Programa do Governo na Assembleia da República, o Ministro destacou que «as pessoas são um recurso escasso e crítico para a competitividade futura», acrescentando que devem ser encaradas pelas empresas como tal.

Destacando que o modelo económico português é «caracterizado pela flexibilidade dos processos de produção, pelo foco no serviço, no desenvolvimento de produto, na resposta rápida, e na elevada qualidade a preço competitivo», Pedro Siza Vieira sublinhou a importância de apostar na «qualidade da gestão e na qualificação e experiência dos trabalhadores».

«A sociedade portuguesa tem de dirigir uma mensagem muito clara aos jovens e à classe média: a de que que em Portugal se podem aplicar plenamente as qualificações em que investiram», afirmou o Ministro.

Neste sentido, «o Estado procurará apoiar o crescimento do rendimento disponível das classes médias através da redução do IRS ou do continuado reforço dos serviços públicos», procurando também «promover o diálogo social, com vista ao reforço das medidas de combate à precariedade, à redução dos níveis de insegurança no mercado de trabalho e ao relançamento da negociação coletiva».

O Governo vai também negociar, em concertação social, um acordo global sobre crescimento económico e rendimentos para a legislatura, que «sirva de referência para a contratação coletiva e que preveja uma clara valorização dos rendimentos do trabalho e, em particular, dos jovens qualificados»
 
«A valorização dos rendimentos do trabalho é justa, é possível e é necessária», acrescentou Pedro Siza Vieira.

O Ministro referiu ainda que o Governo pretende apoiar o crescimento da competitividade das empresas para que enfrentem com sucesso os muitos desafios que vão surgir nos próximos anos: «Em última análise, disso depende a capacidade de construirmos um país que oferece a todos os que aqui vivem e trabalham a possibilidade de aqui construírem os projetos de vida correspondentes às suas aspirações e às suas qualificações».