Saltar para conteúdo

Notícias

2020-04-23 às 18h01

Constituído consórcio de empresas e universidades para produzir zaragatoas

Ministros Manuel Heitor, Ana Mendes Godinho e Ana Abrunhosa na sala de controlo da unidade de radioesterilização do Instituto Superior Técnico, Loures, 23 abril 2020 (Foto: João Bica)
Unidade de radioesterilização do Instituto Superior Técnico, Loures, 23 abril 2020 (Foto: João Bica)
Os Ministros da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor, do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho, e da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa, presidiram à criação de um consórcio entre o Centro Biomédico da Universidade do Algarve e o Instituto Superior Técnico, e as empresas Hidrofer e Logoplaste para a produção industrial de zaragatoas para testes à Covid-19.

As zaragatoas, feitas à base de dacron, uma fibra de poliéster, foram concebidas no Algarve Biomedical Center, produzidas na Hidrofer de Famalicão, esterilizadas nos laboratórios do Técnico em Loures e disponibilizadas numa embalagem fabricada na Logoplaste de Cascais, com o trabalho de articulação da Professora Elsa Henriques, da Fundação Luso Americana para o Desenvolvimento. 

As zaragatoas são essenciais para a colheita de material biológico destinado à realização dos testes para a despistagem da doença. A produção diária é estimada em 50 mil unidades.

A cerimónia decorreu no Centro Tecnológico Nuclear do IST, em Loures, tendo os membros do Governo também visitado a Unidade Tecnológica de Radioesterilização do Centro Tecnológico Nuclear do Instituto Superior Técnico.