Saltar para conteúdo

Notícias

2021-04-13 às 15h32

Condições de acolhimento são essenciais para o sucesso da integração de migrantes

Ministra de Estado e da Presidência, Mariana Vieira da Silva, na reunião informal de Ministros sobre políticas de integração, organizada pela presidência portuguesa da União Europeia, 13 abril 2021 (foto: PPUE)
A União Europeia deve trabalhar para implementar as orientações do seu Plano de Ação sobre Integração e Inclusão, afirmou a Ministra de Estado e da Presidência, Mariana Vieira da Silva, numa reunião informal de Ministros sobre políticas de integração, organizada pela presidência portuguesa do Conselho da União Europeia.

A Ministra sublinhou que o plano da Comissão Europeia «veio em boa hora, oferecendo orientações que vão do emprego à educação, habitação ou saúde», acrescentando que é preciso, agora, dar-lhe sequência, «envolvendo as múltiplas partes interessadas e os parceiros mais relevantes».

Mariana Vieira da Silva disse ainda que, «quando oferecemos boas condições de integração e acolhimento, os migrantes têm a oportunidade de concretizar melhor o seu potencial e contribuir para a nossa sociedade».

A reunião focou-se nas questões da integração e nos desafios que os Estados membros enfrentam com a integração de pessoas migrantes e refugiadas, tendo sido discutidos o impacto da crise pandémica de Covid-19 nas condições de vida dos migrantes, e os desafios que se colocam para promover a inclusão no mercado de trabalho. 

Realizou-se também um Fórum de Políticas, com enfoque no papel dos parceiros sociais no domínio da integração.

No encerramento, a Comissária europeia para os Assuntos Internos, Ylva Johansson, referiu haver possibilidade para avançar com um scoreboard de resultados sobre políticas de integração.

O Plano de Ação da UE para a Integração e Inclusão (2021-2027), apresentado pela Comissão Europeia em novembro de 2020, propõe ações concretas, dá orientações e delineia o financiamento de iniciativas que promovam a inclusão de imigrantes.