Saltar para conteúdo

Notícias

2020-03-12 às 13h17

Brasil vai replicar programa Revive

Secretária de Estado do Turismo, Rita Marques, e Ministro do Turismo brasileiro, Marcelo Teixeira Dias,na assinatura do protocolo para replicar programa Revive no Brasil, Lisboa, 12 março 2020
Portugal e o Brasil assinaram um protocolo para adaptação e implementação do Programa Revive no Brasil, numa cerimónia presidida pela Secretária de Estado do Turismo, Rita Marques, e pelo Ministro do Turismo brasileiro, Marcelo Teixeira Dias.

O programa Revive é uma parceria entre o Estado e o setor privado para a reabilitação e utilização comercial de edifícios históricos, que é concessionado pelo Estado aos privados, normalmente para exploração turística.

A Secretária de Estado do Turismo disse que a exportação deste programa tem como objetivos «cimentar a relação com o Brasil», e «potenciar melhores condições para os nossos empresários investirem lá fora e expandir os seus negócios, propiciando oportunidades a quem possa estar interessado investir no território brasileiro».

50 monumentos em Portugal

Rita Marques lembrou que este programa está a permitir a recuperação de 50 monumentos históricos portugueses, dos quais 14 já estão concessionados, com obras a decorrer, e que rendem dois milhões de euros ao Estado.

Há «todo o interesse em desenvolver o projeto no contexto internacional e o Brasil, acreditando no sucesso, tem interesse em importar novos programas na área do turismo e suscitar interesse para os empresários», disse ainda.

Programa-piloto no Brasil

O Ministro do Turismo do Brasil, Marcelo Teixeira Dias, disse que até meados de maio será escolhido o primeiro edifício histórico que será concessionado ao abrigo da versão brasileira do Programa Revive, desenhado em Portugal.

O Ministro acrescentou que há um grupo de trabalho «a selecionar equipamentos para o programa piloto e a partir daí desenvolveremos outros patrimónios históricos, como Portugal tem feito».

«O Brasil tem uma infinidade de património histórico muitas vezes subutilizado, algum degradado, e o objetivo é que, através do programa Revive, através de concessões, esse património possa ser restaurado e possa ser utilizado com uma vertente comercial, como hotéis e restaurantes, o que dá emprego e rendimento à população e aumenta os fluxos turísticos», acrescentou Marcelo Teixeira Dias.