Saltar para conteúdo

Notícias

2020-07-07 às 19h31

Acelerar a execução de fundos europeus no Alentejo

Ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa, e Secretária de Estado da Valorização do Interior, Isabel Ferreira, na visita a Estremoz, 7 julho 2020
A Ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa, e a Secretária de Estado da Valorização do Interior, Isabel Ferreira, visitar algumas obras do concelho de Estremoz. 

Em Veiros, freguesia que já foi sede de concelho, a visita começou pela requalificação do Palácio dos Coutinhos, edifício que vai servir de sede à Sociedade Filarmónica Veirense já a partir do próximo outono. A Filarmónica, no ativo desde 1870, é um importante elo de ligação entre várias gerações da região. Esta requalificação, feita no âmbito do Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano, representa um investimento de 756 mil euros, mais de 640 mil apoiados por fundos europeus. 

Já no centro histórico de Estremoz, a visita foi às obras do Edifício Luís Campos, um investimento financiado por fundos europeus em mais de dois milhões euros na requalificação da futura Biblioteca Municipal. 

A Ministra explicou que as obras em curso, financiadas com fundos europeus regionais, são exemplos de «regeneração urbana, recuperação de antigos edifícios», muito diferentes de obra nova. Estar no terreno, acompanhando os responsáveis pela sua execução, «ajuda a perceber pequenos problemas e obstáculos que podem atrasar ou dificultar os projetos». 

Ana Abrunhosa lembrou que, estando perto do fim do atual quadro comunitário, a grande prioridade é «executar estes fundos porque eles estimulam a economia e são úteis para a qualidade de vida da população», reafirmando que «nem um cêntimo deve ficar por aproveitar da solidariedade europeia e estes recursos devem ser utilizados na melhoria contínua da qualidade de vida dos portugueses».

Em relação aos projetos visitados, são essencialmente «ligados à cultura, à criatividade e às artes, espaços culturais», que tanta falta fazem a estas comunidades. 

Neste dia passado em Estremoz, a Ministra ainda visitou o primeiro projeto apoiado pelo Portugal 2020 que, cinco anos depois, é um exemplo de vitalidade. Apesar da pandemia, o restaurante Alecrim – que já faz parte do roteiro gastronómico da cidade – decidiu abrir portas todos os dias, prescindindo do descanso semanal, e reforçou o seu quadro de pessoal com mais dois trabalhadores. Foi uma forma de contrariar a diminuição da procura sentida nos últimos meses.

A comitiva parou ainda na Adega Vila Santa, de João Portugal Ramos, que detém 13 das mais conhecidas marcas de vinhos no mercado nacional. O produtor de Estremoz vai começar a produção de álcool gel a partir deste mês de julho, tendo apostado na inovação produtiva através do recurso a fundos europeus. Está preparado para produzir 100 mil litros semanais, se a procura o justificar. 

A Ministra e a Secretária de Estado foram acompanhadas pelo presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Alentejo, Roberto Grilo, e pelo Presidente da Câmara Municipal de Estremoz, Francisco Ramos.