Saltar para conteúdo

Notícias

2020-06-05 às 13h35

Abertos Quiosque e seis Espaços Cidadão em Viseu

Ministra da Modernização do Estado e da Administração Pública, Alexandra Leitão, na abertura de um dos novos Espaços Cidadão de Viseu, 5 junho 2020
A cidade de Viseu passa a contar com um Quiosque Cidadão e seis novos Espaços Cidadão, reforçando assim o atendimento de serviços públicos disponíveis para a população.

A Ministra da Modernização do Estado e da Administração Pública, Alexandra Leitão, e a Secretária de Estado da Inovação e da Modernização Administrativa, Maria de Fátima Fonseca, visitaram hoje o Quiosque Cidadão e o Espaço Cidadão do Campo, juntamente

O Quiosque Cidadão de Viseu faz parte da rede de quiosques que o Governo está a abrir nos municípios com maior volume de pedidos relacionados com os cartões de cidadão, numa parceria entre a Agência para a Modernização Administrativa (AMA), o Instituto com o presidente da Câmara Municipal de Viseu, Almeida Henriques.dos Registos e Notariado (IRN), o Instituto de Gestão Financeira e Equipamentos da Justiça (IGFEJ) e as respetivas autarquias.

O Quiosque Cidadão de Viseu contará com dois postos de atendimento para entrega do cartão de cidadão, feitos por agendamento prévio junto dos serviços o IRN, e funcionará das 8h às 20h.

Nos outros oito quiosques já em funcionamento em todo o país desde meados de maio, foram realizados mais de 6.600 atendimentos e mais de 8.000 agendamentos.

A rede de Espaços Cidadão, por sua vez, conta já com 674 Espaços abertos em todo o país, dos quais 70 foram abertos na atual legislatura. Este reforço da abrangência territorial dos Espaços Cidadão prosseguiu mesmo durante o período de confinamento, tendo sido abertos 30 Espaços desde que foi decretado o estado de emergência.

O Espaço Cidadão do Campo disponibiliza 234 serviços de 17 entidades, tal como outros cinco Espaços de Abravezes, Ranhados, Repezes e São Salvador, Bodiosa e Orgens.

O Governo prossegue assim com o seu objetivo de alargar a rede de Lojas e Espaços Cidadão e de aproximar os serviços aqui prestados das comunidades que deles beneficiam, organizando os serviços em função das necessidades concretas dos cidadãos e não em função das próprias entidades.