Saltar para conteúdo

Notícias

2019-12-11 às 21h24

«A nossa estratégia é a estratégia dos territórios»

Ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa, na posse dos novos órgãos sociais da Associação Comercial e Industrial da Figueira da Foz, Figueira da Foz, 11 dezembro 2019
A Ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa, apresentou, na Tomada de Posse dos novos órgãos sociais da Associação Comercial e Industrial da Figueira da Foz (ACIFF), o plano desta área governativa para o desenvolvimento do País. Estabelecer pontes e trabalhar em proximidade com os atores locais vai, disse a Ministra, dar força ao investimento e promover a coesão.

No final da sessão, questionada pela comunicação social sobre os meios para a Coesão Territorial, a Ministra disse que os mesmos existem, ainda que um Governo de contas certas tenha outras prioridades.

«Naturalmente, achamos que temos sempre poucos meios, mas percebemos que há prioridades. E já tivemos uma boa notícia [com este Orçamento do Estado], na Saúde que só foi possível porque temos contas certas. São essas contas certas que permitem depois fazer esses investimentos», acrescentou.

Como complemento à estratégia para a sua área governativa - que classificou como «estratégia dos territórios» - Ana Abrunhosa referiu o recurso aos Programas Operacionais Regionais do Portugal 2020, que se destinam «a estimular os atores regionais a captar outras fontes de financiamento», e à Comissão Europeia.

Tendo em conta as reivindicações do Presidente da Câmara da Figueira da Foz, Carlos Monteiro, Ana Abrunhosa afirmou também à comunicação social que «a eletrificação da Linha do Oeste é absolutamente vital para a competitividade das empresas» e que um município industrial como este «tem de ter, naturalmente, infraestruturas de localização empresarial». A Ministra relembrou que este é um projeto que serve também as Beiras, fazendo, portanto, parte da estratégia deste território.

Também o porto comercial desta cidade «tem de ser competitivo» e sustentável para o ambiente e, por essa razão, tem recebido investimentos «nos vários quadros comunitários». «Revejo-me em todos» os projetos indicados pelo Presidente, disse Ana Abrunhosa.

Relativamente à redução do areal e instalação de infraestruturas na praia da Figueira da Foz, (a maior praia urbana da Europa que, no seu ponto mais largo, tem mais de 700 metros), Ana Abrunhosa referiu que esta será uma decisão local que o Governo poderá apoiar «se for essa a decisão da comunidade» desta autarquia.