Saltar para conteúdo

Notícias

2021-01-20 às 18h38

«A gravidade da situação está à vista: hoje tivemos mais de 14 mil casos»

Ministra da Saúde, Marta Temido, visitou a Estrutura Hospitalar de Contingência de Lisboa, no Estádio Universitário de Lisboa, 21 janeiro 2021 (foto: João Bica)
«A gravidade da situação está à vista: hoje tivemos mais de 14 mil casos, novamente um número de óbitos que ultrapassou os 200, o Serviço Nacional de Saúde e as estruturas que com ele colaboraram estão num extremo de utilização e, sobretudo, alguns indicadores mantêm-se muito preocupantes, como o muito elevado número de resultados positivos nos testes realizados», afirmou a Ministra da Saúde, Marta Temido, após visita à Estrutura Hospitalar de Contingência de Lisboa, no Estádio Universitário.

A Ministra disse que o Governo quer mobilizar no imediato todos os meios possíveis para enfrentar a pandemia de Covid-19, mas sublinhou que o País tem recursos limitados, apesar das convenções assinadas com o setor social e privado.

«Temos cerca de 800 camas no total das convenções para Covid e não Covid, camas que foram contratadas em novembro e mais recentemente. Toda a capacidade que existe pretendemos utilizá-la já. Este é o momento de darmos todos o nosso melhor», afirmou.

Marta Temido referiu que a «colaboração do setor privado, social, militar, e da sociedade civil tem conhecido todos os dias algum alargamento», apontando o número de convenções atualmente existente para cada administração regional de saúde: 21 no Norte, 19 em Lisboa e Vale do Tejo e 17 no Centro, sendo a oferta a este nível mais limitada no Alentejo e no Algarve.

A ativação da unidade de retaguarda no Estádio Universitário de Lisboa, com capacidade para 58 doentes de Covid, criada com o apoio das Forças Armadas permite criar «alguma folga». Todavia, insistiu, a situação epidemiológica atual «é fonte de grande preocupação».
Áreas:
Saúde