Saltar para conteúdo

Notícias

2020-09-26 às 21h09

«Quando falamos de reabilitação dos centros históricos, falamos de trazer para aqui nova vida»

Ministra da Coesão Territorial e Secretário de Estado Adjunto e do Desenvolvimento Regional na inauguração do espaço público, Cabeceiras de Basto, 26 setembro 2020
A Ministra da Coesão Territorial e o Secretário de Estado Adjunto e do Desenvolvimento Regional estiveram este sábado em Cabeceiras de Basto para a inauguração do maior espaço público da vila, que acaba de ser requalificado.
 
O Campo do Seco, local da feira semanal e das anuais Feira e Festa de São Miguel, esteve 19 meses em obras, tonando-se um renovado espaço multifuncional, que conta agora com mais 60 árvores no local, dispõe de 209 lugares de estacionamento, instalações sanitárias, passeios largos e ótimas condições de acessibilidade. 
 
«O Campo do Seco é o centro nevrálgico de Cabeceiras de Basto, mas também o seu coração, onde estão os principais serviços, a Escola, os Bombeiros, a Junta de Freguesia, o comércio. É por isso essencial que esteja preparado para receber gente, que seja uma zona não apenas de serviços, mas também de lazer. É disto que se trata quando falamos de reabilitação dos centros históricos: trazer nova vida para estas zonas», disse Ana Abrunhosa. 

A obra, candidatada no âmbito do Plano de Ação de Regeneração Urbana (PARU), foi um investimento de cerca de três milhões de euros, com mais de um milhão e meio proveniente de fundos europeus.

«Os fundos europeus permitem que estas obras de modernização e requalificação se realizem. São estas verbas que dão corpo ao que de outra forma poderia nem sair do papel. Mas os fundos europeus não fazem tudo sozinhos. Sem autarcas que ponham a máquina em andamento, que arregacem mangas e tenham visão, nenhum destes projetos alguma vez arrancaria. Precisamos sempre de autarcas que nunca ficam satisfeitos», referiu a Ministra.
 
O Presidente da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto, Francisco Alves, e o Presidente da Assembleia Municipal, o também deputado Joaquim Barreto, manifestaram a certeza de que esta é uma obra que vai deixar marcas no território.

Ana Abrunhosa e Carlos Miguel congratularam-se com o facto de as políticas públicas que têm vindo a implementar, com medidas desenhadas para o Interior, estarem a desenvolver as regiões em áreas identificadas pelos autarcas e onde fazem a diferença para os cidadãos.

«A valorização dos territórios que tanto defendemos começa assim, com garra e ambição. Terão sempre o nosso apoio», disse Ana Abrunhosa

A cerimónia de inauguração do Campo do Seco contou com a atuação da Banda Cabeceirense, que em 2020 cumpre 200 anos de atividade. Ana Abrunhosa agradeceu o trabalho inestimável que bandas como esta desempenham junto da comunidade, «um trabalho que deixa o resto do País orgulhoso».