Saltar para conteúdo

Intervenções

2020-11-05 às 12h01

Intervenção do Ministro de Estado e das Finanças 16ª Conferência Anual da Ordem dos Economistas

«Começo por agradecer o convite e por felicitar a Ordem dos Economistas por este espaço de debate e discussão.

O Orçamento do Estado para 2021 é o exercício orçamental mais difícil e exigente dos últimos anos.
A pandemia, que atingiu a Europa no início de 2020, provocou uma crise económica e social sem precedentes.

Antes da crise, a economia portuguesa apresentava um equilíbrio macroeconómico inédito:

Finanças públicas sólidas, com o primeiro excedente orçamental da nossa democracia;
Desemprego a níveis historicamente baixos: a taxa de desemprego foi de 6,5% em 2019, a mais baixa desde 2003;

Contas externas equilibradas, com um excedente da balança externa de 1% do PIB.

Para além disso, a economia portuguesa crescia há 27 trimestres consecutivos.

Tinha atravessado o período mais prolongado de convergência real desde a instauração da moeda única.
 
Entre 2015 e 2019, a economia portuguesa cresceu cerca de 3 p.p. acima da média da Zona Euro»

Leia a intervenção na íntegra
Ministro de Estado e das Finanças, João Leão, na conferência da Ordem dos Economistas