Saltar para conteúdo

Intervenções

2020-02-10 às 21h44

Intervenção do Ministro da Defesa Nacional na Escola Superior de Guerra do Brasil

«Gostaria de começar por dar os parabéns à Escola Superior de Guerra que celebrou 70 anos em 2019. Sete décadas dedicadas ao estudo aprofundado do destino do Brasil no Mundo é obra merecedora de elogio por todos aqueles que, como eu e como tantos outros portugueses, acompanham com interesse os assuntos brasileiros. Conhecemos todos, especialmente aqueles estrangeiros que, como foi o meu caso, tiveram o privilégio de viver neste país, as palavras do famoso carioca, Tom Jobim, muito repetidas, mas nem por isso menos pertinentes, de que: "o Brasil não é para principiantes". O Brasil, de facto, merece estudo aprofundado. Nestas funções que atualmente desempenho dou mais valor do que nunca à importância das instituições que permitem formar os nossos quadros, antecipar as grandes tendências globais, e propor adequadas políticas de resposta a estas tendências e desafios.

Quero também sublinhar as antigas e fortes ligações da Escola Superior de Guerra a Portugal, a começar pelo magnífico espaço do Forte de São João, onde nasceu o Rio de Janeiro pelas mãos de Estácio de Sá, há cinco séculos atrás. Ao longo das décadas de existência da Escola Superior de Guerra, esta ligação a Portugal foi cultivada, nomeadamente, por via da colaboração frequente com o nosso Instituto da Defesa Nacional, instituição que tenho a honra de tutelar diretamente. Uma colaboração que se traduziu, nomeadamente, neste último ano, num projeto conjunto entre a Escola Superior de Guerra e o Instituto da Defesa Nacional dedicado a pensar os desafios de segurança no Atlântico».

Leia a intervenção na íntegra